Francisco recomenda mansidão, paciência, oração e proximidade

Cidade do Vaticano, 03 nov 2021 (Ecclesia) – O Papa disse hoje no Vaticano que os membros do clero devem ser próximos das comunidades católicas, evocando o exemplo do Apóstolo Paulo, durante a audiência pública desta quarta-feira.

“Como é bonito encontrar pastores que caminham com o seu povo e que não se separam dele. É muito bonito, faz bem à alma”, disse aos peregrinos reunidos no Auditório Paulo VI.

Francisco deu continuidade ao ciclo de catequeses sobre a Carta de São Paulo aos Gálatas, falando sobre o tema “Caminhar segundo o Espírito”.

“Ao seguir este caminho, o cristão adquire uma visão positiva da vida. Isso não significa que o mal presente no mundo tenha desaparecido, ou que os impulsos negativos de egoísmo e orgulho tenham desaparecido; pelo contrário, significa acreditar que Deus é sempre mais forte do que as nossas resistências e maior do que os nossos pecados”, indicou.

O Papa destacou a dimensão comunitária deste esforço espiritual, que deve levar a cuidar do outro em vez de o julgar e difamar, cultivando a “mansidão, paciência, oração e proximidade”.

“Quantos fardos estão presentes na vida de uma pessoa: doença, falta de trabalho, solidão, dor. Quantas outras provações exigem a proximidade e o amor dos irmãos”, afirmou.

No final da audiência, Francisco dirigiu-se aos peregrinos de língua portuguesa, com uma saudação.

“Ontem recordamos todos os nossos entes queridos já falecidos. Não esqueçamos que para chegar à meta, no final da estrada de nossa vida, temos de nos deixar guiar pelo Espírito. Sobre todos vós e sobre as pessoas que vos são caras, invoco a bênção de Deus”, disse.

OC

Partilhar:
Share