Francisco cita exemplos de São João XXIII e de Martin Luther King

Foto: Vatican Media

Cidade do Vaticano, 28 nov 2022 (Ecclesia) – O Papa convidou hoje os jovens a viver o “sonho da fraternidade” na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de Lisboa, em 2023, evocando os exemplos de São João XXIII e do norte-americano Martin Luther King, Nobel da Paz.

“Convido-os a participar, no próximo ano, na Jornada Mundial da Juventude, em Lisboa em 2023. Aqueles de vocês que puderem ir, vão encontrar-se com tantos outros jovens de todo o mundo, todos unidos pelo sonho da fraternidade baseada na fé em Deus que é a Paz, o Pai de Jesus Cristo e nosso Pai”, disse, aos jovens aos jovens que participam do projeto da ‘Rede Nacional das Escolas da Paz’ (Itália), recebidos hoje no Vaticano.

Francisco sublinhou que, mesmo quem não puder estar fisicamente em Portugal, pode “seguir e participar” na JMJ, com os meios tecnológicos.

A intervenção, divulgada pelo Vaticano, questionou os jovens sobre os seus “sonhos”, para a Igreja e a sociedade, desafiando-os a “sonhar alto, como João XXIII e Martin Luther King”, para que possam ser “poetas da paz”.

“Para que haja paz é preciso cuidar. A paz diz-nos sempre respeito! Como sempre nos diz respeito o outro, o irmão e a irmã, e devemos cuidar dele e dela”, acrescentou.

Francisco apresentou o exemplo de São João XXIII, conhecido como “o Papa bom” e o “Papa da paz”, pelo seu pontificado no início dos anos 60, “marcados por fortes tensões – a construção do Muro de Berlim, a crise de Cuba, a Guerra Fria e a ameaça nuclear”.

O Papa citou, em particular, a “famosa e profética” Encíclica ‘Pacem in Terris’ (Paz na Terra), que em 2023 fará 60 anos, considerando-a “muito atual”.

“O Papa João dirigiu-se a todos os homens de boa vontade, pedindo a solução pacífica de todas as guerras através do diálogo e do desarmamento”, explicou.

Francisco falou ainda do célebre discurso de Martin Luther King, “eu tenho um sonho”, que o ativista e pastor norte-americano proferiu, antes de ser assassinado.

“Num contexto americano fortemente marcado pela discriminação racial, ele fizera todos sonhar com a ideia de um mundo de justiça, liberdade e igualdade”, destacou o Papa.

Foto: Vatican Media

No final da audiência, o Papa desejou a todos “uma boa caminha no tempo do Advento”, iniciado este domingo, pedindo que a preparação para o Natal seja “feita de muitos pequenos gestos de paz, todos os dias: gestos de acolhimento, de encontro, de compreensão, de proximidade, de perdão, de serviço”.

Mais de 200 mil jovens de todo o mundo iniciaram a inscrição na Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que vai decorrer em Lisboa de 1 a 6 de agosto de 2023, marcando encontro com o Papa.

Os números foram divulgados pelo Comité Organizador Local (COL) a 23 de novembro, um mês depois da inscrição de Francisco, desde o Vaticano.

“Com representantes de mais de 120 países inscritos, provenientes não só da Europa, mas também de África e da América do Norte, Central e do Sul, a mobilização destes jovens para a inscrição reflete a diversidade de ter peregrinos de todo o mundo a participar na JMJ Lisboa 2023”, indica uma nota, publicada online.

Segundo o COL, da Europa destaca-se a maior inscrição de jovens provenientes de Portugal e Espanha, seguidos de Polónia e Itália.

No continente americano, os países com maior representatividade são os EUA, o Brasil, o México e o Equador.

Já na África, destacam-se os países de língua oficial portuguesa – Moçambique, Angola e Guiné-Bissau.

Quem se pretenda inscrever como peregrino, voluntário, para o Festival da Juventude e para a Feira Vocacional na JMJ Lisboa 2023, poderá fazê-lo através do site oficial.

As edições internacionais da JMJ são um acontecimento religioso e cultural que reúne centenas de milhares de jovens de todo o mundo, durante cerca de uma semana.

OC

Partilhar:
Share