Intenção de junho apela a testemunho da «gratuidade do amor»

 

Cidade do Vaticano 02 jun 2022 (Ecclesia) – O Papa apelou à oração pelas famílias cristãs, na sua intenção de oração para o mês de junho, em que decorre o 10º Encontro Mundial das Famílias, unindo Roma aos cinco continentes.

“O amor na família é um caminho pessoal de santidade para cada um de nós. Foi por isso que o escolhi como tema para o Encontro Mundial das Famílias deste mês”, refere num vídeo divulgado hoje pela Rede Mundial de Oração do Papa.

“Rezemos pelas famílias cristãs de todo o mundo, por cada uma e por todas as famílias para que, com gestos concretos, vivam a gratuidade do amor e a santidade na vida quotidiana”, apela Francisco.

A intervenção apresenta a família como o lugar onde se aprende a “viver juntos, a conviver com os mais novos e os mais velhos”.

“Ao estarmos unidos, jovens, idosos, adultos, crianças, ao estarmos unidos nas diferenças, evangelizamos com o nosso exemplo de vida”, aponta o Papa.

“É claro que não existe a família perfeita. Há sempre um ‘mas’. Mas tudo bem. Não devemos ter medo dos erros; devemos aprender com eles para podermos avançar”, acrescenta.

Não esqueçamos que Deus está connosco: na família, no bairro, na cidade onde vivemos, Ele está connosco. E Ele preocupa-se connosco, está sempre connosco no vaivém do barco agitado pelo mar: quando discutimos, quando sofremos, quando estamos felizes, o Senhor está lá e acompanha-nos, ajuda-nos, corrige-nos”.

Em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, a Rede Mundial de Oração do Papa, ligada à Companhia de Jesus (Jesuítas) explica que, depois de dedicar o Vídeo de maio aos jovens, a intenção de oração deste mês coincide com a celebração do Encontro Mundial das Famílias, de 22 a 26 de junho.

O cardeal Kevin Farrell, prefeito do Dicastério para os Leigos, Família e Vida (Santa Sé) realça que as famílias que crescem no caminho da santidade.

“Não existe a família perfeita, Amoris laetitia lembra-nos, e não devemos ter medo das dificuldades. Todas as famílias têm preocupações, sofrimentos, mas também alegrias e esperanças. São as relações amorosas entre cônjuges, pais, filhos e avós que os tornam caminhos de santidade, feitos de simples gestos diários, que pouco a pouco tornam extraordinários os momentos comuns”, assinala o colaborador do Papa.

O padre Frédéric Fornos S.J., diretor internacional da Rede Mundial de Oração do Papa, comentou esta intenção: “Francisco recorda-nos que a família é o lugar onde aprendemos a conviver com a diferença, com os jovens e com os idosos”.

“A família é o lugar para aprender a amar, para conviver na diferença, aprendendo com os erros, conscientes de que o Senhor está presente, ajuda e acompanha. Esta experiência da presença de Deus nasce da oração, e é por isso que é importante rezar pela intenção de oração do Papa”, concluiu.

OC

Partilhar:
Share