«Precisamos de um jornalismo que seja livre», escreve Francisco

Cidade do Vaticano, 03 mai 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco associou-se hoje à celebração do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, com uma mensagem publicada através da sua conta no Twitter.

“Precisamos de um jornalismo que seja livre, ao serviço da verdade, da justiça e da bondade; um jornalismo que ajude a construir uma cultura de encontro”, escreveu na rede social, num texto acompanhado pelo marcado #DefendMediaFreedom (defender a liberdade de imprensa).

O Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, comemorado a 3 de maio, foi instituído pela UNESCO em 1993, com o objetivo de alertar para as limitações e perseguições contra os jornalistas.

Em 2018 foram assassinados pelo menos 94 jornalistas.

Em julho de 2016, no final do julgamento do processo de furto e divulgação de documentos reservados da Santa Sé, conhecido como ‘Vatileaks2’, os juízes deixaram cair as acusações contra dois jornalistas italianos, Emiliano Fittipaldi e Gianluigi Nuzzi, responsáveis pela publicação dos livros ‘Avareza’ e ‘Via Crucis’, respetivamente.

A sentença evocava a “existência, radicada e garantida pelo direito divino, da liberdade de manifestação do pensamento e da liberdade de imprensa no ordenamento jurídico do Vaticano”.

OC

Partilhar:
Share