Francisco pede fim da discriminação dos doentes e suas famílias

Cidade do Vaticano, 10 out 2021 (Ecclesia) – O Papa assinalou hoje no Vaticano o Dia Mundial da Saúde Mental, lembrando o sofrimento dos doentes e suas famílias.

“Gostaria de lembrar os irmãos e as irmãs que sofrem de distúrbios mentais e também as vítimas, muitas vezes jovens, de suicídio. Rezamos por eles e as suas famílias, para que não sejam deixados sozinhos ou discriminados, mas acolhidos e apoiados”, disse, no final da recitação da oração do ângelus, na Praça de São Pedro.

O Dia Mundial da Saúde Mental celebra-se a 10 de outubro, ano tem como tema “A saúde mental num mundo desigual”

O cardeal Peter Turkson, prefeito do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral (Santa Sé), divulgou uma mensagem para esta data, sublinhando que “no vasto universo da saúde, uma das dimensões mais negligenciadas é a da saúde mental, muitas vezes acompanhada de estereótipos, pouco conhecimento de problemas mais específicos e má informação”.

“Em cerca de metade dos casos, os transtornos mentais começam antes dos 14 anos e o suicídio é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos”, alerta.

O colaborador do Papa destaca o impacto da pandemia de Covid-19, referindo que as “restrições sociais impostas pela primeira fase da emergência levaram ao aumento do consumo abusivo de álcool e outras substâncias psicotrópicas”.

D. Peter Turkson defende ainda a necessidade de “reduzir a incidência de transtornos mentais associados às desigualdades sociais”.

OC

 

Partilhar:
Share