Francisco evoca ainda cheias no Vietname e Sicília

Foto: Lusa/EPA

Cidade do Vaticano, 31 out 2021 (Ecclesia) – O Papa Francisco criticou hoje no Vaticano o “abandono” de que sofre a população no Haiti, atingida por tragédias naturais, crises políticas e económicas.

“Peço aos responsáveis das nações que apoiem este país, não o deixem só”, referiu, após a recitação da oração do ângelus, considerando que a população haitiana “vive em condições limite”.

Francisco deixou um apelo aos peregrinos que se reuniram este domingo na Praça de São Pedro: “Quando voltardes a casa, procurai notícias sobre o Haiti e rezai, rezai muito”.

A intervenção falou de testemunhos de missionários camilianos, divulgados num programa da Igreja Católica na televisão italiana.

“As coisas que nos dizia, quanto sofrimento, quanta dor nesta terra. E quanto abandono”, assinalou o Papa.

“Não os abandonemos”, acrescentou.

Um dos missionários, o padre Antonio Menegon, disse ao portal ‘Vatican News’ que a situação na ilha é “cada vez mais dramática” não só por causa do terramoto de 14 de agosto e da passagem da tempestade Grace, mas sobretudo “pelo agravamento da violência e dos gangues armados, que já tomaram conta e efetivamente governam o país”.

O Papa aludiu ainda às cheias das últimas semanas, no Vietname, “com milhares de deslocados”.

“A minha oração e o meu pensamento vão para as muitas famílias que sofrem, juntamente com o meu encorajamento para as autoridades do país e a Igreja local, que se estão a empenhar para responder a esta emergência”, declarou.

Francisco mostrou-se também próximo das populações da Sicília, na Itália, também atingidas pelo mau tempo.

OC

Partilhar:
Share