Reflexão semanal apresenta oração como antídoto para a tristeza

Cidade do Vaticano, 20 mai 2020 (Ecclesia) – O Papa apresentou hoje no Vaticano uma reflexão sobre a vida humana e a natureza, afirmando que “nada existe por acaso”.

“A criação não é fruto de um acaso cego, mas de um plano amoroso que Deus tem para os seus filhos”, referiu Francisco, durante a audiência geral que decorreu na biblioteca do Palácio Apostólico, com transmissão online.

Prosseguindo o ciclo de reflexões sobre a oração, o pontífice abordou o “mistério da criação” que leva à “contemplação de Deus”.

“O ser humano percebe a sua pequenez, mas também o lugar especial que ocupa”, observou, destacando a “dignidade surpreendente” que surge da “relação filial” de cada pessoa com Deus.

Quando o homem olha extasiado para a criação, toma consciência de que é a única criatura capaz de reconhecer a beleza que a obra divina encerra e, perante tanto esplendor, eleva ao Criado a sua oração de agradecimento e de louvor pelo presente da existência”.

O Papa destacou que a oração ilumina mesmo “os tempos mais escuros, os tempos de maior dor”, apresentando-a como um antídoto para a tristeza.

Foto: Vatican Media

“Esta vida é um presente que Deus nos deu e é muito curta para a gastarmos na tristeza, na amargura. Louvemos Deus, felizes simplesmente por existir”, declarou.

Francisco falou da oração como “força principal da esperança”, que se manifesta mesmo nos momentos de provação e dificuldade.

No final da audiência, o Papa deixou uma saudação aos fiéis de língua portuguesa: “Neste Mês de Maria, procuremos rezar o terço todos os dias, aprendendo com Nossa Senhora a ter um olhar contemplativo diante de todos os acontecimentos da nossa vida. Que Deus vos abençoe”.

OC

Partilhar:
Share