Cura reconhecida como milagre aconteceu em Buenos Aires

Cidade do Vaticano, 28 dez 2021 (Ecclesia) – O portal de notícias do Vaticano confirmou hoje que o Papa João Paulo I (1912-1978) vai ser beatificado a 4 de setembro de 2022, após a confirmação de um milagre atribuído à intercessão, em outubro.

“Permaneceu apenas um mês na Cátedra de São Pedro, mas está guardado para sempre no coração das pessoas”, refere o portal de notícias ‘Vatican News’.

A Santa Sé adianta que a data foi oficialmente anunciada pela Congregação para as Causas dos Santos e que a celebração vai ser presidida pelo Papa Francisco, no Vaticano.

Albino Luciani nasceu em Canale d’Agordo, Diocese de Belluno, no Véneto, a 17 de outubro de 1912; era patriarca de Veneza quando foi eleito Papa a 26 de agosto de 1978, assumindo o nome de João Paulo I; recusou a coroação formal e não quis ser carregado na cadeira gestatória, ficando conhecido como o “Papa do Sorriso”.

O processo de beatificação de João Paulo I chegou ao Vaticano a 3 de janeiro de 2007, altura em que, na Congregação para a Causa dos Santos, foi aberto o envelope oficial com os documentos relativos à investigação diocesana sobre a heroicidade da vida e das virtudes, assim como sobre a fama de santidade.

João Paulo I foi Papa entre 26 de agosto e 28 de setembro de 1978.

O decreto que reconheceu as “virtudes heroicas” do futuro beato foi aprovado em novembro de 2017.

O tribunal eclesiástico para o inquérito diocesano começou as atividades em 22 de novembro de 2003 e concluiu os seus trabalhos três anos depois; nas 203 sessões do processo, foram ouvidas 167 testemunhas.

A cura reconhecida como milagre, que abriu caminho à beatificação, aconteceu na Argentina, em Buenos Aires, há cerca de dez anos.

Em abril de 2020, Francisco anunciou a criação de uma fundação dedicada a João Paulo I, para destacar a “atualidade” do magistério de Albino Luciani, sucessor de São Paulo VI.

OC

Partilhar:
Share