EUA, Itália e Alemanha estão na origem de mais de um terço dos donativos

Foto: Vatican Media

Cidade do Vaticano, 16 jun 2022 (Ecclesia) – O Vaticano publicou o relatório do “Óbolo de São Pedro”, o fundo da caridade do Papa, que em 2021 financiou projetos em 67 países, com cerca de 10 milhões de euros.

“A assistência oferecida às dioceses com poucos meios, aos institutos religiosos e aos fiéis em sérias dificuldades levou a Santa Sé a doar mais de 35 milhões de euros em 2021. Parte desta contribuição, os já mencionados 9,8 milhões de euros, veio do Óbolo, um valor que possibilitou a promoção de 157 projetos em 67 países”, indica uma nota publicada pelo portal de notícias do Vaticano.

África concentrou a maior parte dos projetos (41,8%), destinados à ação social e à ação evangelizadora das comunidades católicas.

A coleta mundial de donativos que apoia o ministério e a caridade do Papa recolheu, no último ano, cerca de 47 milhões de euros.

O “Óbolo” ajuda a sustentar também o serviço prestado pela Cúria Romana.

Dos 65,3 milhões de euros gastos em 2021, 46,9 milhões de euros foram financiados pelas ofertas recebidas durante o ano e 18,4 milhões pelos próprios ativos do Óbolo.

“55,5 milhões de euros contribuíram para as atividades promovidas pela Santa Sé na realização da missão apostólica do Papa”, precisa o Vaticano.

A maior parte dos donativos (65%) veio de dioceses, somando-se fundações, privados e institutos religiosos.

Geograficamente, os maiores contribuintes para o Óbolo 2021 foram os EUA (29,3%), seguidos pela Itália (11,3%), Alemanha (5,2%), Coreia do Sul (3,2%) e França (2,7%).

OC

Partilhar:
Share