Papa respondeu a questões colocadas pelo padre James Martin

Foto: Vatican Media

Cidade do Vaticano, 28 jun 2021 (Ecclesia) – O Papa enviou uma carta ao padre James Martin, sacerdote jesuíta conhecido pelo trabalho pastoral junto de pessoas LGBT, sublinhado a “proximidade” de Deus por todas as pessoas.

“Deus é Pai e não renega nenhum de seus filhos. E o estilo de Deus é proximidade, misericórdia e ternura. Ao longo deste caminho, encontrarão Deus”, escreve Francisco, num texto manuscrito, em espanhol, divulgado pelo portal de notícias do Vaticano.

A carta apresenta respostas a algumas perguntas feitas pelo religioso jesuíta, convidando todos a encontrar a imagem de uma “Igreja viva”.

Questionado sobre a “rejeição” de algumas pessoas, por parte das comunidades católicas, o Papa sustenta que “a Igreja é uma mãe e convoca todos os seus filhos”.

“Gostaria que reconhecessem isso não como ‘a rejeição da Igreja’ mas, pelo contrário, como rejeição por parte de ‘pessoas na Igreja’”, assinalou.

Francisco rejeita a ideia de uma Igreja “seletiva”, “puro-sangue”, considerando que essa ideia corresponderia a uma “seita”.

Já em julho de 2021, o Papa tinha enviado uma carta ao padre Martin uma carta manuscrita em espanhol, por ocasião do webinar “Outreach 2021”.

OC

Partilhar:
Share