89 casos suspeitos foram assinalados em 2020

Cidade do Vaticano, 15 jul 2021 (Ecclesia) – A Autoridade de Supervisão e Informação Financeira (ASIF) do Vaticano apresentou hoje o seu relatório de atividades de 2020, elogiando a resposta das instituições na luta contra a lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo.

O documento, divulgado hoje pela sala de imprensa da Santa Sé, sublinha que o Estado da Cidade do Vaticano e os organismos centrais de governo da Igreja Católica estão “entre as jurisdições mais virtuosas” nalgumas áreas do combate ao crime financeiro.

O texto destaca ainda a avaliação positiva da Moneyval – comissão de peritos em avaliação de medidas de combate à lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo do Conselho da Europa – e a eficácia da cooperação interna e com outros países.

Segundo a ASIF, em 2020 foram assinaladas 89 atividades suspeitas, com 16 relatórios enviados ao escritório do promotor de Justiça do Vaticano.

Além disso, houve 49 pedidos de informação com outras autoridades do Vaticano, relativas a 124 sujeitos, um sinal de “crescimento significativo em relação ao ano anterior, que confirma as sinergias consideráveis criadas entre as instituições da Santa Sé e o Estado da Cidade do Vaticano na luta contra atividades criminosas”, destaca o relatório.

Graças a dois protocolos internacionais de entendimento com a cooperação ativa das forças de investigação do Vaticano, a ASIF fez 58 pedidos de informação a Unidades de Inteligência Financeira estrangeiras e enviou 19 comunicações.

O relatório indica uma diminuição progressiva no uso de dinheiro em espécie no Vaticano e aponta ao objetivo de uma “absoluta transparência das atividades institucionais do Estado da Cidade do Vaticano”.

OC

Vaticano: Peritos do Conselho da Europa dão nota positiva a medidas de combate ao branqueamento de capitais

Partilhar:
Share