Professores e alunos da Pontifícia Faculdade Teológica “Marianum”, de Roma, foram recebidos este sábado

Cidade do Vaticano, 24 out 2020 (Ecclesia) – O Papa Francisco recebeu este sábado os professores e alunos da Pontifícia Faculdade Teológica “Marianum”, de Roma, e recordou que “os tempos em que vivemos são os tempos de Maria” e que a “Igreja precisa redescobrir o seu coração materno”.

“Precisamos da maternidade, de quem gera e regenera a vida com ternura, porque só o dom, o cuidado e a partilha mantêm a família humana unida. Pensemos no mundo sem as mães: não tem futuro: as vantagens, os lucros, por si só, não dão um futuro, na verdade, por vezes aumentam as desigualdades e as injustiças. As mães, em vez disso, fazem com que cada filho se sinta em casa e dão esperança”, disse o Papa.

Francisco falou sobre a perspetiva da pesquisa da Pontifícia Faculdade Teológica “Marianum”, de Roma, confiada aos Servos de Maria e nos 70 anos de sua fundação.

No seu discurso o Papa destaca Maria, “a melhor das mães”, capaz de tornar a Igreja e o mundo mais fraternos.

“A Igreja precisa redescobrir o seu coração materno, que bate pela unidade; mas também precisa da nossa Terra, para voltar a ser a casa de todos os seus filhos, onde todos somos irmãos, onde há lugar para cada descartado das nossas sociedades”, aponta.

Francisco referiu ainda que o papel da mulher é “essencial para a história da salvação, e não pode deixar de ser essencial para a Igreja e para o mundo” mas que muitas “não recebem a dignidade que lhes é devida”.

“A mulher, que trouxe Deus ao mundo, deve poder levar os seus dons para a história. Precisamos de sua criatividade e estilo. A teologia tem necessidade, para que não seja abstrata e conceitual, mas delicada, narrativa, vital”, considera.

SN

Partilhar:
Share