«Universidade como Protagonista do Futuro» é o tema do dia nacional, celebrado a 2 de fevereiro

Lisboa, 28 jan 2020 (Ecclesia) – A Universidade Católica Portuguesa (UCP) vai celebrar este domingo o seu dia nacional, com o lema ‘Universidade como Protagonista do Futuro’, deixando alertas contra o “sonambulismo da desgraça”.

“A Universidade é uma instituição central para que o futuro não seja marcado pelo sonambulismo da desgraça, mas pelo contrário se constitua na luz da defesa dos valores inclusivos, ecuménicos e justos do humanismo”, escreveu a reitora da UCP, Isabel Capeloa Gil, na sua mensagem para esta celebração anual.

A responsável apresenta a instituição académica “como grande projeto da Igreja em Portugal”, considerando que é necessário “formar e dar espaço a novos protagonistas”.

“Que não ignorem a complexidade que nos rodeia, mas que saibam, com criatividade e responsabilidade, contribuir para um futuro transformado no campo profissional, social e cultural”, precisa

Isabel Capeloa Gil deseja que a UCP  seja “protagonista de uma ecologia solidária e de um futuro eticamente responsável, socialmente inclusivo, respeitador dos direitos da justiça e preservando a dignidade humana e bem assim a vitalidade e diversidade da casa comum”.

Apesar da “forte pressão” sentida nos vários âmbitos da vida socioeconómica, política e cultural, a reitora sente que gerações mais jovens devem ser preparadas para se converterem em “protagonistas do bem comum, em líderes criativos e responsáveis na vida social e civil, com uma visão correta do Homem e do mundo”.

“É neste sentido que as universidades hoje se devem interrogar que contribuição podem e devem dar para a saúde integral do ser humano e uma ecologia solidária”, escreve.

A sessão comemorativa acontece este ano no dia 7 de fevereiro, pelas 15h30, no Auditório Ilídio Pinho do Centro Regional do Porto, com a presença do bispo do Porto, D. Manuel Linda, e do presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa.

Sob o lema ‘A Universidade como protagonista do futuro’, a cerimónia engloba a imposição das insígnias e entrega das cartas doutorais aos doutores que obtiveram o grau em 2019 e a distribuição de medalhas de prata da UCP pelos colaboradores que completaram 25 anos de serviço em 2019.

A Universidade Católica Portuguesa tem quatro centros – Lisboa (sede), Porto, Braga e Viseu; criada em 1967, é reconhecida pelo Estado como instituição universitária livre, autónoma e de utilidade pública.

SN/OC

 

Partilhar:
Share