Adesão possibilita acesso a «rede de cientistas» que desenvolvem «investigação de vacinas» e colaboração entre membros

Lisboa, 23 jul 2021 (Ecclesia) – A Faculdade de Medicina, da Universidade Católica Portuguesa (UCP), passou a integrar a plataforma mundial de cientistas no combate à tuberculose (Collaboration for Tuberculosis Vacine Discovery – CTVD).

“Foi um reconhecimento muito importante para a Faculdade de Medicina da Universidade Católica, ao passarmos a integrar este grupo que reúne os melhores cientistas do mundo, numa verdadeira partilha de conhecimento científico”, afirma o professor Paulo Bettencourt, em representação da Faculdade de Medicina da UCP, num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA.

Prestes a dar início ao seu primeiro ano letivo, com data marcada para 13 de setembro, a integração na Plataforma significa uma adesão, efetivada a 15 de julho, a uma “rede de cientistas que desenvolvem projetos associados à investigação de vacinas mais eficazes contra a tuberculose e facilita a colaboração entre os seus membros”.

“Trata-se da maior plataforma mundial de cientistas, que se dedicam ao desenvolvimento de novas vacinas contra a tuberculose”, indica o comunicado, acrescentando que a CTVD é financiada pela Fundação Bill e Medinda Gates.

“Este grupo de trabalho procura melhorar a única vacina contra a tuberculose – BCG. A tuberculose é uma doença que registou 10 milhões de novos casos e 1.4 milhões de mortes em 2019”, pode ainda ler-se.

A UCP informa que Paulo Bettencourt é formado em Biotecnologia pelo Instituto Superior de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, concluiu o mestrado em Imunologia e Imunogenética pela Universidade de Manchester, doutoramento em Farmácia pela Universidade de Lisboa, e o Pós-doutoramento em Vacinologia no Instituto Jenner da Universidade de Oxford, onde a vacina contra a COVID-19 da AstraZeneca foi criada e desenvolvida.

Atualmente é professor auxiliar da Faculdade de Medicina da UCP e investigador principal em Imunologia e Vacinologia, sendo igualmente coordenador da plataforma CatólicaMed, do Centro de Investigação Interdisciplinar em Saúde (CIIS).

LS

 

Partilhar:
Share