Mensagem da Obra Nacional destaca necessidade de respeitar comunidades locais e meio ambiente

Lisboa, 27 set 2018 (Ecclesia) – A Obra Nacional da Pastoral do Turismo (ONPT), da Igreja Católica, alertou, em mensagem enviada à Agência ECCLESIA, para a necessidade de colocar as novas tecnologias ao serviço da “inclusão social”, respeitando as comunidades locais e o meio ambiente.

“Temas como inteligência de dados, inteligência artificial e plataformas digitais são parte da resposta ao desafio de conciliar crescimento contínuo com maior sustentabilidade e responsabilidade, que passam, naturalmente, pelo aumento da inclusão social, pelo envolvimento das comunidades locais e pelo uso eficiente dos recursos”, assinala o texto dedicado ao Dia Mundial do Turismo, que se celebra hoje.

A mensagem, intitulada “O Turismo e a transformação digital –  ‘A rede como espaço de comunhão’”, adverte para os perigos de “manipulação, uso indevido de dados para fins propagandísticos e comerciais, condicionamento psicológico” no uso dos meios tecnológicos.

Para os responsáveis católicos, a presença neste setor implica “um profundo sentido de responsabilidade”.

As ferramentas e serviços ao dispor de quem trabalha no Turismo implicam não somente a criação de grandes oportunidades, quer de contacto e de negócio, mas também a consciência de que há necessidade de ter um profundo comprometimento na forma como qualquer inovação é introduzida e usada, uma vez que temos necessidade de cuidar do próximo, do planeta, procurando aplicar estratégias sustentáveis e promotoras do respeito pela diferença e pela dignidade”.

A ONPT sustenta que o Turismo “pode e deve contribuir”, de forma efetiva, para o desenvolvimento sustentável.

Aos católicos é pedido que usem as tecnologias ao seu dispor para oferecer aos turistas espaços de “acolhimento e de esperança”, promovendo “a ajuda a quem viaja e a quem quer descansar e procura, longe do seu espaço físico, respostas para a sua vida espiritual”.

O Dia Mundial do Turismo centra-se em 2018 na importância que têm as tecnologias digitais neste setor, por proposta da Organização Mundial do Turismo.

A mensagem da ONPT assinala que os cristãos devem marcar presença nas comunidades e redes virtuais, “constituídas por pessoas bem reais e que têm fome de Deus, de um Deus próximo e permanentemente acessível”.

Este ano a nota é da autoria do padre Miguel Neto, da equipa da ONPT e especialista na temática da comunicação, o qual refere à Agência ECCLESIA que as novas tecnologias aproximaram as pessoas “da vertente do turismo”, permitindo “acesso a qualquer lugar do mundo”, mesmo antes de o visitar.

O sacerdote alerta para o impacto na comunidade de fenómenos como o alojamento local, levando a que os bairros típicos, por exemplo, fiquem “despovoados”.

Para o padre Miguel Neto, a preocupação da equipa da ONPT tem sido “gerar comunhão” entre a Igreja Católica e os visitantes, além de criar sinergias entre as várias equipas diocesanas.

OC

Partilhar:
Share