Francisco manifestou «profunda tristeza» com «ataque brutal» ao grupo das religiosas e leigos

Cidade do Vaticano, 17 ago 2021 (Ecclesia) – O Papa Francisco lamentou a morte de duas religiosas da Congregação do Sagrado Coração de Jesus no Sudão do Sul, num ataque realizado por homens armados no domingo, 15 de agosto, num telegrama enviado à da nunciatura apostólica do país africano.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o Papa revela que está “profundamente triste” ao ter conhecimento do “ataque brutal a um grupo de freiras da Congregação do Sagrado Coração, que resultou na morte das irmãs Maria Abud e Regina Roba”.

Francisco exprime “condolências às famílias” das duas religiosas e à sua comunidade religiosa, após este “ato de violência sem sentido” e confia que o seu sacrifício vai ajudar “a causa da paz, da reconciliação e da segurança na região”.

“Sua santidade ora pelo seu resto eterno e pelo conforto daqueles que carregam suas perdas”, lê-se no telegrama enviado ao arcebispo Mark Kadima, da Nunciatura Apostólica no Sudão do Sul, assinado pelo secretário de Estado do Vaticano, o cardeal Pietro Parolin, e publicado na Sala de Imprensa da Santa Sé.

O ‘Vatican News’ informa que as duas religiosas foram mortas numa emboscada na estrada que liga Juba, capital do Sudão do Sul, a Nimule, na fronteira com Uganda, quando regressavam com outras irmãs e fiéis da celebração do centenário da fundação da paróquia de Loa, na Diocese de Torit, onde a igreja é dedicada a Nossa Senhora da Assunção.

Segundo fontes locais, acrescenta o portal de notícias do Vaticano, para além das irmãs Maria Abud e Regina Roba mais três pessoas foram mortas no ataque realizado no domingo, 15 de agosto.

CB

Partilhar:
Share