Lisboa, 11 mai 2018 (Ecclesia) – A fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) informou hoje que mais de duas centenas de crianças, até agora nas mãos de grupos armados, foram libertadas graças ao esforço desenvolvido pelas autoridades no Estado de Yambio Gbudue.

“A maior parte destas crianças eram rapazes que estavam a ser usados em ações militares, por vezes mesmo em combates, mas há também algumas dezenas de raparigas”, assinala a nota de imprensa enviada à Agência ECCLESIA.

Segundo a AIS, esta é a segunda libertação de um grande grupo de crianças e adolescentes nos últimos meses.

David Shearer, representante especial do secretário-geral e chefe da Missão da ONU no Sudão do Sul, alertou que esta guerra quase esquecida está a ter “um impacto arrasador” nas populações, com “civis inocentes” a serem “apanhados pelo fogo cruzado” dos grupos armados, “incluindo muitas mulheres, crianças e pessoas idosas”.

O conflito armado, que dura há cerca de cinco anos, provocou já quase 2,5 milhões de refugiados e a deslocação para outras regiões do país de um terço da população do país, de cerca de 12 milhões de pessoas.

OC

Partilhar:
Share