D. José Traquina destaca ação após incêndios e em favor de famílias sem rendimentos

Santarém, 17 mar 2019 (Ecclesia) – O bispo de Santarém, D. José Traquina, presidiu hoje à Missa na catedral local, marcando o início da Semana Nacional da Cáritas Portuguesa, e recordou a ação da organização católica em favor das famílias sem rendimentos ou das vítimas dos incêndios de 2017.

“Em plano nacional, nas Cáritas Diocesanas de todo o país foram atendidas mais de 120 mil pessoas, das quais 101 mil receberam apoio. De especial preocupação, registam-se as situações complicadas de saúde, dificuldade na compra de medicamentos, falta de emprego, insuficiência de rendimentos e muitas situações de famílias endividadas”, referiu, na homilia da celebração, enviada à Agência ECCLESIA.

Os números são relativos ao ano de 2018, no qual se concluíram a maioria das ações previstas na campanha “Cáritas, com Portugal, abraça as vítimas dos incêndios”.

“No total, foram apoiadas 265 famílias através da construção/reparação de 50 habitações, da recuperação de 6 empresas, da reparação de 134 infraestruturas agrícolas, da aquisição de material de lavoura e da disponibilização de animais. Para esta ação de emergência foram disponibilizados os 2 332 912,81 euros, angariados através do ofertório nas igrejas e do contributo de muitos portugueses através da Cáritas”, explicou o presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana.

Através da Cáritas Internacional, acrescentou D. José Traquina, a Cáritas Portuguesa colaborou no apoio 346 famílias vítimas das cheias em Moçambique e apoio alimentar a 100 famílias do Sudão do Sul.

“Que a informação sirva para estimular a solidariedade”, desejou o prelado.

O responsável evocou a situação de “emergência” na Venezuela, convidando todos a “cuidar das pessoas, sobretudo das mais desprotegidas”.

“A Semana Cáritas serve para valorizar a vocação social de todas as pessoas. Somos uma só família humana e, neste sentido, devemos assumir responsabilidades do cuidado de uns pelos outros”, prosseguiu.

Promover a sensibilidade das comunidades e a formação humana segundo os princípios da solidariedade, do bem comum e do cuidado pelos mais necessitados, é tarefa desta semana, também com o peditório público autorizado nos dias 21 a 24”.

O bispo de Santarém saudou as pessoas que colaboram nas diversas Cáritas, Portuguesa, Diocesanas e Paroquiais: mais de 1500 colaboradores profissionais, 170 dirigentes, e mais de cinco mil voluntários (regulares e ocasionais).

O trabalho da Cáritas Portuguesa, nas várias dioceses e paróquias, e o contributo que dá ao setor da Pastoral Social na Conferência Episcopal Portuguesa foi analisado por D. José Traquina, presidente da Comissão Episcopal de Pastoral Social e Mobilidade Humana no programa Ecclesia emitido esta segunda-feira, na RTP2.

OC

Solidariedade: Cáritas Portuguesa celebra Semana Nacional centrada nos mais pobres e na defesa do ambiente

Partilhar:
Share