Jornalista destaca alertas do Papa, deixados no início de 2022

Fotos: Miguel Manso/PÚBLICO

Lisboa, 02 jan 2022 (Ecclesia) – Bárbara Wong, jornalista do Público, afirmou que a pandemia veio a agravar desigualdades na área da Educação, sublinhando os alertas deixados pelo Papa, na sua mensagem para o Dia Mundial da Paz 2022.

“Nas famílias com menos possibilidades houve um aumentar das desigualdades e vai continuar durante esta pandemia”, refere a convidada deste domingo na entrevista conjunta Ecclesia/Renascença.

A jornalista e editora do jornal compreende o apelo do Papa para que se invista menos em armas e mais na “educação” e “instrução”, que considera as chaves para mudar o mundo.

“Só pela Educação é que nós vamos mudar o mundo, vamos ter melhores cidadãos, melhores pessoas”, precisa.

Acho curioso o Papa fazer esta distinção entre instrução e educação, porque muitas vezes estamos muito focados – sobretudo os professores – na instrução, no ensinar a matéria, quando a escola deve ser muito mais do que isso, deve ser também a educação e uma educação global.”.

A mensagem de Francisco para o Dia Mundial da Paz (1 de janeiro) tem como tema ‘Diálogo entre gerações, educação e trabalho: instrumentos para construir uma paz duradoura’.

Para Bárbara Wong, a pandemia mudou os relacionamentos, considerando que as pessoas perderam “empatia e paciência”, ao longo dos últimos meses.

A jornalista desafia os políticos a ler a mensagem do Papa e a assumir a necessidade de “fazer crescer uma renovada responsabilidade social”.

Ângela Roque (Renascença) e Octávio Carmo (Ecclesia)

Partilhar:
Share