D. Francisco Senra Coelho deixou mensagem de estímulo aos jovens, que recebem símbolos da JMJ

Reguengos de Monsaraz, 02 jan 2022 (Ecclesia) – O arcebispo de Évora lamentou este sábado a falta de profissionais de saúde em Portugal, evocando todos os que tiveram de deixar o país em busca de melhores condições de vida.

“Este país que agora enferma de falta de enfermeiros, enferma de falta de técnicos de saúde. Há tempos foi grande a migração de Portugal, depois dos investimentos que fizemos de preparar gente competente que agora nos falta”, disse D. Francisco Senra Coelho, na Missa da solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus, a que presidiu em Reguengos de Monsaraz.

A primeira celebração de 2022 foi transmitida pela Rádio Renascença.

Citando a mensagem do Papa para o Dia Mundial da Paz, o arcebispo de Évora apelou ao desarmamento e ao investimento na educação.

“A busca de um real processo de desarmamento internacional só pode trazer grandes benefícios ao desenvolvimento dos povos e nações, libertando recursos financeiros para serem utilizados de forma mais apropriada na saúde, na escola, nas infraestruturas, o cuidar do território”, referiu.

Na homilia da celebração, divulgada online, D. Francisco Senra Coelho falou ainda da peregrinação dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) pelo território arquidiocesano.

“Entrego ao coração de cada jovem, aos movimentos e grupos eclesiais de jovens, o êxito pastoral desta peregrinação missionária, desta convocatória comprometedora dos Símbolos da JMJ à Arquidiocese de Évora”, indicou.

A Igreja Católica celebra a 1 de janeiro o Dia Mundial da Paz, instituído em 1968 por São Paulo VI (1897-1978); Francisco escolheu, como tema da sua mensagem para 2022, o ‘Diálogo entre gerações, educação e trabalho: instrumentos para construir uma paz duradoura’.

OC

JMJ Lisboa 2023: Símbolos da Jornada Mundial da Juventude passaram de Beja para Évora pelo Alqueva (c/fotos)

 

 

Partilhar:
Share