Documento quer ser «grito de socorro» perante novo texto da lei da eutanásia

Lisboa, 03 nov 2021 (Ecclesia) – O movimento cívico ‘Stop eutanásia’ entregou hoje uma carta aos deputados na Assembleia da República, apelando à valorização da vida e dignidade humana, na véspera do debate e votação do novo texto da lei da eutanásia.

“Qualquer  parlamento pode ser dissolvido, mas sabemos também que nenhuma vida humana pode ser descartada. A fragilidade humana exige uma resposta”, pode ler-se na missiva, enviada à Agência ECCLESIA.

No documento que os subscritores designam como “um grito de socorro”, sublinha-se que “todos dependemos das pessoas que nos rodeiam em todas as fases da vida” desde a conceção até à morte natural e chama a atenção para a realidade de outros países.

“A vida é definitivamente uma viagem que se faz acompanhado. A vida só se realiza plenamente neste dar-se. E no sofrimento também! Desvalorizar a vida e antecipar a morte, não nos conduz ao que todos ambicionamos – um mundo mais humano e uma sociedade mais feliz”, pode ler-se.

A carta aponta a realidade de “crianças eutanasiadas” no que parece ter-se “transformado na resposta pronta para quem desiste de viver” e “um retrato de uma sociedade doente e que se desumaniza cada dia”.

“Esta não é a hora de avançar com a eutanásia, mas sim de avançarmos com políticas que humanizem e reconheçam o valor intrínseco da dignidade de todas as pessoas”, termina o texto, subscrito por professores de Direito, advogados, juristas e 100 profissionais de saúde (médicos, enfermeiros e psicólogos).

SN/OC

Eutanásia: Juristas Católicos consideram que votação por Parlamento em dissolução é «ainda mais ilegítima»

Partilhar:
Share