Responsável destacou-se na defesa das causas da vida e da família

Lisboa, 21 mar 2014 (Ecclesia) – O presidente e fundador da Associação Portuguesa das Famílias Numerosas (APFN), Fernando Ribeiro e Castro, morreu esta quinta-feira, aos 62 anos.

A informação foi avançada em nota publicada na página da APFN, na qual se sublinha a “na coragem e desassombro com que defendia princípios e convicções” do falecido responsável, elogiado ainda pela “energia inacreditável que o levou a trabalhar até ao último dia da sua vida”.

A associação recorda também a “generosidade e desprendimento totais, com que se dava e sempre se deu às causas da defesa da Vida e da Família”.

Fernando Castro dedicou-se durante vários anos à causa da natalidade e da família, estando na origem da APFN, que nasceu em 1999 com o objetivo de defender e promover os direitos das famílias que optam por ter mais de dois filhos.

A propósito de um trabalho sobre medidas de incentivo à natalidade, disse recentemente à Renascença que para este Governo os filhos valiam “zero”.

“Para o Estado os filhos passaram a valer zero. No que diz respeito ao cálculo do IRS, por exemplo, não entra em linha de conta a dimensão da família. É completamente injusto, uma família com o mesmo rendimento, sem filhos, pagar de taxa de IRS igual como se tivesse dez filhos”, lamentou.

O corpo de Fernando Ribeiro e Castro está em câmara ardente na Igreja de São Domingos  de Rana, Patriarcado de Lisboa, e o seu funeral realiza-se no sábado.

RR/OC

Partilhar:
Share