Lisboa, 30 nov 2021 (Ecclesia) – A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) está a organizar uma “enorme operação de Natal” para distribuir peças de roupa, nomeadamente “calças de ganga e camisolas quentes”, a cerca de 30 mil crianças sírias.

A fundação pontifícia pretende “minorar o sofrimento de crianças e jovens”, que fazem parte do grupo mais vulnerável da população síria, realçando que muitas crianças nasceram com o país já em guerra “e não conhecem outra realidade que a da violência, das bombas, dos mortos e feridos”.

A operação de Natal pretende distribuir peças “calças de ganga e camisolas quentes”, que fazem falta para os dias de inverno, e está a ser organizada em colaboração com a irmã Annie Demerjian.

Segundo a AIS, ajudar a religiosa da Congregação de Jesus e Maria nesta iniciativa solidária “custa apenas 11 euros”.

A fundação alerta que existe “cerca de um milhão de crianças órfãs” na Síria e “muitas foram forçadas a combater na guerra”, ao fim de 10 anos de conflito armado “falta quase tudo” desde a alimentação aos cuidados básicos de saúde e “há famílias que só sobrevivem a pão e água”.

Metade da população deste país, que era de 23 milhões de habitantes quando a guerra começou, em 2011, foi forçada a fugir.

Destes, cerca de 5,5 milhões vivem como refugiados na região, enquanto outros 6,7 milhões estão deslocados dentro do próprio país, incluindo 2,5 milhões de crianças.

O conflito sírio, que começou a 15 de março de 2011, e tinha 23 milhões de habitantes, quase 5,5 milhões de habitantes fugiram para outras partes do mundo, enquanto 6,7 milhões de sírios estão deslocados no seu próprio país, incluindo 2,5 milhões de crianças, contabiliza a AIS.

CB/OC

Partilhar:
Share