Padre José Gil Pinheiro fala em oportunidade de transformação para as comunidades católicas

Lisboa, 15 out 2021 (Ecclesia) – O coordenador da Comissão Preparatória do Sínodo de Setúbal, padre José Gil Pinheiro, destacou a coincidência deste processo, nos 50 anos da diocese sadina, com o processo sinodal convocado pelo Papa.

“A ideia é envolver todos nesta celebração que tem a componente da memória agradecida de tudo aquilo que foi feito, construído e edificado como igreja diocesana”, realçou à Agência ECCLESIA.

A celebração do cinquentenário da Diocese de Setúbal acontece em 2025, existindo desse já uma equipa que está a preparar o terreno que “pretende envolver a diocese”, indicou o sacerdote.

O responsável acredita que a Diocese de Setúbal “vai beneficiar e muito do Sínodo dos Bispos”, convocado pelo Papa Francisco, a decorrer entre outubro de 2021 e outubro de 2023, como tema ‘Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão’.

“O Sínodo dos Bispos vai marcar o início do Sínodo Diocesano porque sem os confundirmos não os podemos separar”, declarou o padre José Gil Pinheiro.

A dinâmica sinodal que o Papa Francisco quer para a Igreja, “este caminhar conjunto e caminhar aberto”, vai marcar também o início do sínodo diocesano, acrescenta o sacerdote.

Para o entrevistado na emissão desta sexta-feira do Programa ECCLESIA, existem “pontos de contacto” entre a iniciativa diocesana e a da Igreja universal, já que o desafio do Papa Francisco apela a “uma conversão perante a necessidade da missão que se impõe sempre na dinâmica da igreja”.

“A Igreja precisa de se converter, constantemente, à missão e ao desejo de levar Jesus a todos”, apontou.

A Igreja em saída, proposto por Francisco, “implica uma conversão daqueles que estão dentro”, para depois serem testemunhas “felizes e eficazes para aqueles que ainda não conhecem Jesus”.

“A questão não é se estamos preparados ou não, mas que temos de caminhar e vai começar com o processo da escuta”, precisa o padre José Gil Pinheiro.

As dioceses portuguesas vão assinalar, a partir de domingo, a fase inicial de consulta e mobilização das comunidades católicas no processo sinodal convocado pelo Papa, que decorre até 2023.

Em Setúbal, D. José Ornelas, bispo local, preside à Missa pelas 15h30, na Catedral sadina.

A auscultação das Igrejas locais é uma etapa inédita, desenhada pelo Papa Francisco, que pediu a cada bispo que replicasse a celebração de abertura que decorreu no Vaticano, a 9 e 10 de outubro, com uma cerimónia diocesana.

HM/LFS/OC

Partilhar:
Share