Pároco local sublinha necessidade de dignificar respostas dirigida à população atingida pela crise

Setúbal, 13 fev 2021 (Ecclesia) – A Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, na Diocese de Setúbal, tem um ‘restaurante social’, que oferece apoio alimentar à população atingida pela crise social e económica provocada pela atual pandemia.

“A empresa onde estava fechou. Trabalhei 12 anos nos ferries em Setúbal e há 10 dias fiquei sem trabalho. Venho buscar comer para mim, para a minha mãe e para o meu padrasto”, explicou José Dias, em declarações à Agência ECCLESIA.

A Paróquia de Nossa Senhora da Conceição está numa zona urbana da cidade de Setúbal onde se destacam alguns dos bairros com maiores dificuldades sociais.

O ‘restaurante social’ é uma das várias valências que a paróquia sadina dinamiza para apoiar a população, e o seu pároco, o padre Constantino Alves, assinalou que ao longo dos anos foram “encontrando respostas sociais e humanas”, que não procuraram “nos catálogos ou nos livros, mas na atenção à vida das pessoas”.

“Não é uma cantina ou refeitório, porque são fechados. É um restaurante, porque dignifica as pessoas: vou ao restaurante social e não ao restaurante de pobres”, explicou o sacerdote.

O padre Constantino Alves acrescenta que já foram ao restaurante vários grupos de pessoas e instituições, professores universitários, organizações da sociedade civil, movimentos da Igreja, que jantavam em conjunto com os utentes.

O restaurante social, uma parceria com a Cáritas Diocesana de Setúbal, funciona ao fim do dia, em regime de “take-away”, e é procurado por várias pessoas.

Mercedes Cabrera, que está há cinco anos em Portugal, reclama que “é muito importante um pouco mais de atenção aos estrangeiros”.

“Estamos a viver momentos difíceis de pandemia; Trabalho há mais de três anos, fazendo descontos, e não tenho direito a nada”, contou.

Foto: Agência ECCLESIA/HM

Segundo o padre Constantino Alves, que está há 20 anos na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, estes são “bairros com muitos desafios a todos os níveis”, mas assegura que gosta “deste tipo de desafios”.

“A evangelização é a libertação da pessoa, é trazer felicidade às pessoas, dignidade às pessoas, a todos os níveis: espiritual, emocional, físico”, destacou o sacerdote na reportagem que vai ser apresentada no programa ‘70×7’, de domingo, dia 14 de fevereiro, a partir das 17h20, na RTP 2.

A emissão aborda várias respostas sociais promovidas pela Igreja Católica à crise provocada pela pandemia de Covid-19.

HM/CB/OC

Partilhar:
Share