«Levanta-te e partilha a fé e a missão» é o tema para ano pastoral 2019/2020

Setúbal, 25 set 2019 (Ecclesia) – O bispo de Setúbal assinalou o início do ano pastoral 2019-2020 com uma nota, em que deixa uma “palavra amiga de chamamento para a vida e a missão” a toda a diocese, “especialmente aos jovens”.

“Este novo ano pastoral desafia-nos a levantar e a caminhar; a abrirmo-nos à comunidade, à Igreja, ao mundo, com vontade de partilhar a mensagem que recebemos e os dons de que dispomos. No exemplo de Maria, Deus chama-nos a caminhar juntos, como Igreja, em missão”, escreve D. José Ornelas.

No documento enviado à Agência ECCLESIA, o bispo diocesano começa por destacar que as comunidades católicas sadinas se encontram num “triénio especialmente dedicado aos jovens” que vai conduzir esta Igreja local até “às portas da Jornada Mundial da Juventude” (JMJ) de 2022, em Lisboa.

“Neste primeiro ano de preparação para a JMJ 2022, deixamo-nos interpelar pela atitude de Maria, como resposta ao anúncio do anjo que lhe traz a Palavra de Deus: «Levantou-se e pôs-se apressadamente a caminho»”, desenvolveu.

D. José Ornelas informa que o Departamento da Juventude da diocese “está em evolução”, para “dar resposta aos desafios” desta Igreja, prosseguindo as visitas às paróquias, neste ano pastoral, das Vigararias de Barreiro/Moita e Montijo.

“A todos/as se dirige o apelo ‘jovem, levanta-te e partilha-te’. Partilha o teu tempo, a tua vida, a tua fé. Levanta-te e aposta, com atitude nova, numa Igreja viva, participativa, missionária”, escreve.

A nota pastoral foi publicada esta terça-feira, dia em que a diocese sadina fez memória do seu primeiro bispo, D. Manuel Martins (1927-2017), com uma Eucaristia que assinalou o segundo aniversário da sua morte.

D. José Ornelas recorda que há um ano foi criada uma comissão para elaborar os estatutos e liderar a constituição da Fundação Dom Manuel Martins (FDMM), que vai “preservar e desenvolver a memória” do primeiro bispo diocesano, e pretende “ser um ponto de encontro e base de anúncio da mensagem cristã com a cultura”.

Neste contexto, adianta que “um dos pilares fundamentais” da fundação vai ser a proposta de “formação qualificada” para todos que “desejarem conhecer e aprofundar a mensagem cristã” e os primeiros cursos da nova ‘Academia Fé e Cultura’ “deverão” começar “no início de 2020”.

Entre outros temas, como o Departamento Sociocaritativo e a formação de diáconos, o bispo de Setúbal explica na nota pastoral que “estão a ser revistos os estatutos de administração e gestão” da diocese e de todas as suas estruturas, há mais de um ano, e os novos estatutos “deverão ser gradualmente aplicados ao longo do ano de 2020”.

CB/OC

Partilhar:
Share