O padre Emanuel Brandão está a viver com «emoção» a sua primeira festa, que termina esta terça-feira com uma Eucaristia presidida por D. Manuel Linda

Foto Lusa

Matosinhos, 01 jun 2020 (Ecclesia) – O pároco de Matosinhos, na Diocese do Porto, afirmou que viveu a procissão do Senhor de Matosinhos “com muita emoção”, apesar da celebração limitada pela pandemia, com a procissão em automóveis.

“Pelas ruas víamos pessoas a chorar, principalmente as pessoas mais simples com muita fé, muita devoção nesta presença de Cristo Crucificado nas nossas vidas”, disse o padre Emanuel Brandão.

Em declarações à Agência ECCLESIA, o pároco de Matosinhos refere que este ano, por causa da pandemia de Covid-19, não é o povo que vai ao “encontro do Senhor de Matosinhos, mas foi Ele ao encontro” das pessoas.

Acredito que o nosso Deus é mesmo assim, vem ao nosso encontro. Muitas vezes me emocionei, essencialmente a oração no Senhor do Padrão, onde a tradição diz que terá aparecido a imagem do Senhor dos Aflitos, foi um momento muito marcante. Fizemos uma oração de bênção sobre a cidade, a pedir a proteção de Deus para a nossa bela cidade de Matosinhos”.

O padre Emanuel Brandão conta que no final da procissão deste domingo, as pessoas todas “se manifestaram muito contentes por esta imagem ter percorrido as ruas”, o Senhor de Matosinhos que “abençoa a cidade” para que a sua proteção “esteja cada vez mais presente nas vidas”.

“Houve muita gente que se aproximou de mim com lágrimas nos olhos por não poder celebrar a festa como eles costumam celebrar e, de certa forma, foi assinalar uma data tão importante para aquela comunidade. Teve de ser de maneira diferente”, assinala, recordando que apelaram “por todos os meios” para que as pessoas “não se concentrassem, ficassem em casa ou nas ruas estivessem separadas”.

Pároco de Matosinhos, desde setembro de 2019, o sacerdote “nunca tinha vivido as festas do Senhor de Matosinhos” e revela que “tem sido uma experiência muito interessante”, que já começou no dia 23 de maio, com a novena transmitida na rede social Facebook, “com umas músicas lindíssimas à volta do Espírito de Deus”.

“Esta ligação entre o Cristo ressuscitado e o Cristo crucificado é muito interessante no sentido de dizer que é um Deus que sofre connosco, um Deus simpático, mas também é o Senhor da história e podemos confiar que Ele nos salva, que é o nosso redentor”, desenvolveu.

O padre Emanuel Brandão adianta que as últimas transmissões pela rede social tiveram “à volta de 1220 visualizações” e conta que “até pessoas com muita idade puseram Internet para poderem ver no Facebook”.

“Ao longo deste confinamento tenho transmitido as Eucaristias, no mês de maio transmiti todos os dias, e tem sido uma experiência de comunhão. As pessoas têm agradecido por esses meios e quando me encontram na rua, não me ter esquecido e estar em contacto com eles de uma maneira diferente”, acrescentou.

O pároco de Matosinhos avalia de forma positiva o regresso das celebrações comunitárias, depois da suspensão decretada a 13 de março, e anuncia que vão continuar a “transmitir por dia uma das Eucaristias” para as pessoas de risco, a quem pediu “que não viessem”, para a sua segurança.

“Mantivemos a distâncias, as pessoas estão muito serenas, os lugares que temos disponíveis estiveram quase todos cheios, foi um ambiente muito interessante e notava-se muita alegria das pessoas puderem voltar a celebrar”, disse.

O programa religioso das Festas do Senhor de Matosinhos 2020 termina esta terça-feira, com a Eucaristia do Bom Jesus de Matosinhos, presidida pelo bispo do Porto, D. Manuel Linda, transmitida a partir das 11h00, no Porto Canal.

O pároco de Matosinhos observa que alguns historiadores referem que a festa “tem à volta de 700 anos” e está “muito enraizada na população sofredora, muito ligada ao mar e aos perigos que esta vida traz” e que sempre “se agarrou à proteção do Senhor de Matosinhos, ao Cristo crucificado que “se compadece das dores e tem uma importância fundamental”.

“Um abraço de muita comunhão, muita amizade, e pedir a proteção do Senhor de Matosinhos para todos, que ele ajude a superar este momento tão difícil para todos nós mas tenho a certeza que juntos vamos superá-lo. Acredito muito na força da fé, na força da esperança, para superar este momento difícil, acredito que o nosso Deus é um Deus que sofre connosco e por nós e está connosco e dá-nos força para lutarmos e vamos vencer com a sua força e a nossa união” – Padre Emanuel Brandão.

CB/OC

Partilhar:
Share