Sacerdote jesuíta convida a encontrar os «sentimentos de Jesus» nas vítimas da pandemia

 

Lisboa, 31 mar 2021 (Ecclesia) – O padre Vasco Pinto de Magalhães afirmou que o “tripé” que dá significado à vida é o reconhecimento de que se tem um “lugar”, se tem a certeza de ser “amado”, e se reconhece um “caminho”.

“As piores dores são as da solidão, da perda de sentido, de segurança, da perda de lugar. Estas três perdas são a fonte do sofrimento. As outras podem-se recuperar”, destaca o sacerdote jesuíta à Agência ECCLESIA.

Recordando os acontecimentos que levaram, segundo a tradição cristã, à morte de Jesus, o padre Vasco sublinha que no calvário, Jesus tinha “um lugar, um sentido, sentia-se amado” e dessa forma entendia o sofrimento.

O padre jesuíta convida, por isso, a “procurar os sentimentos de Jesus” e a encontrar o sentido e a “alegria” nas celebrações da Semana Santa, que tiveram início no Domingo de Ramos com “hossanas, vivas e plantas”.

“A celebração da Última Ceia, não é um pesadelo, apesar de um toque de tristeza, por causa das traições que estavam a acontecer; a grandeza com que Jesus fala no Sinédrio e responde, a força com que acolhe o bom ladrão, a atitude que tem com Pilatos, a grandeza da Via-Sacra, que, claro que arrepia, mas não é uma desgraça. É um drama, sério”, destaca.

Celebrar a Semana Santa, assinala o padre jesuíta, significa acompanhar os que hoje sofrem, encontrando os “Cristos” que a pandemia provocou, aproximando e apresentando um horizonte de esperança.

“Para muitas pessoas está a ser muito duro, perderam muito. Há historias muito duras, e não é enganá-las a dizer que isto vai passar, mas trata-se de mostrar que estamos em comunhão, podemos partilhar; em vez de ficar triste com os pobres, devo aproximar-me e perceber como posso partilhar , ajudar, fazer um caminho pascal. Não ficar a dizer mal da vida e de tudo. É isso que nos deve mover e comover”, indica.

O padre Vasco Pinto de Magalhães reconhece as consequências que um ano de semana santa estão a provocar mas acredita que a “positividade” tem de ser proposta pois, destaca, “não há nada mais sério que a alegria”.

Ao longo da Semana Santa, a Agência ECCLESIA propõe pequenas reflexões do padre Vasco Pinto de Magalhães para encontrar a alegria nestes dias a partir dos gestos de Jesus.

LS

Partilhar:
Share