Covid-19 impede, pelo segundo ano, realização dos tapetes de flores que decoram capelas na contagem decrescente para a Páscoa

Sardoal, 30 mar 2021 (Ecclesia) – O presidente da Câmara Municipal do Sardoal disse à Agência ECCLESIA que as tradições quaresmais têm um “cunho muito forte” na vida da localidade, que pelo segundo ano vive a Páscoa sem os tapetes floridos nas suas capelas.

Miguel Borges sublinha que, apesar das limitações impostas pela Covid-19, as vivências comunitárias são visíveis, por exemplo, nas “faixas roxas” foram colocadas na entrada da vila e “muitas casas colocaram também faixas penduradas nas janelas e varandas”.

O autarca prevê que na Quinta-feira Santa “muitos sardoalenses vão colocar nas janelas velas acesas”, uma “forma de recordar a Procissão dos Fogaréus”, na qual se apagava a iluminação da vila e “sobressaia a luz das velas e dos archotes”.

As celebrações na Semana Santa levavam muitos turistas ao Sardoal, mas Miguel Borges reconhece que, “apesar da economia local estar a atravessar dificuldades”, é fundamental cumprir as regras para evitar contaminações.

Este ano, a Câmara Municipal o projeto ‘Capela’, em que os alunos das escolas (jardim de infância, 1.º ciclo e 2.º ciclo) fazem desenhos e o projeto vencedor será executado numa das capelas do Sardoal.

Para além deste projeto pedagógico, Miguel Borges sublinha que as pessoas podem assistir “às procissões e exposições dos anos anteriores” através do site e da conta da Câmara Municipal do Sardoal no Facebook.

“Uma forma das pessoas perceberam, sem se deslocarem ao Sardoal, como é vivida a Semana Santa na região”, explica.

No dia e na hora das procissões, a Filarmónica União Sardoalense, em conjunto com a Filarmónica de Mação, vai disponibilizar na internet “as marchas fúnebres que caracterizam a Semana Santa”.

O presidente da Câmara Municipal do Sardoal adiante que a autarquia quer criar um “centro de interpretação da Semana Santa e do património religioso” na localidade.

A instalação vai ser na capela de Nossa Senhora do Carmo, onde os visitantes podem visualizar, em qualquer altura do ano, “o património e as vivências” locais.

Em 2021, o município promoveu o concurso de desenho digital ‘Semana Santa – Tapetes de Flores’, para promover e divulgar “o património imaterial” ligado a estas celebrações, nas quais sardoalenses fazem “autênticas obras de arte”,

LFS/OC

Partilhar:
Share