Diretor clínico, Pedro Varandas, indica a necessidade de atenção à saúde mental noutras faixas etárias

Foto: Casa de Saúde da Idanha – Irmãs Hospitaleiras

Lisboa, 20 out 2022 (Ecclesia) – As Irmãs Hospitaleiras da Casa de Saúde da Idanha, no Patriarcado de Lisboa, venceram o Prémio Saúde Sustentável, com o projeto “Realidade Aumentada e Gamificação no Envelhecimento Ativo e Prevenção da Demência”.

“O projeto “Realidade Aumentada e Gamificação no Envelhecimento Ativo e Prevenção da Demência” ganhou o Prémio Saúde Sustentável, na categoria Inovação em Saúde, que visa “premiar o que de melhor se faz pela saúde em Portugal”, conforme comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

O prémio tem um “enorme significado para as Irmãs Hospitaleiras” e em particular para a Casa de Saúde da Idanha”.

“Significa o reconhecimento de todo o esforço e trabalho que se tem realizado desde há vários anos pela equipa dedicada da Área de Demências da Casa de Saúde da Idanha, e, em segundo lugar e, decorrente do anterior, a atribuição de um prémio desta natureza constitui para a equipa e para a instituição um fator de motivação e progresso na procura de novos desafios e inovação na intervenção clínica e terapêutica nesta área tão importante da saúde”, refere Pedro Varandas, diretor clínico.

Segundo médico psiquiatra, o “projeto vencedor “já se encontra implementado na Casa de Saúde da Idanha”, “integrado em todas as valências da Área de Demências”.

“Uma vez que se tratam de jogos especialmente concebidos para responder às necessidades da população sénior, aliando a estimulação da função cognitiva mediada pela atividade física, têm permitido uma boa adesão e motivação”, explica. 

O responsável salienta que há “um elevado grau de satisfação dos participantes, com melhorias designadamente nos domínios cognitivo, afetivo e da qualidade de vida”.

O Ginásio Cerebral Sénior Comunitário, em parceria com a Câmara Municipal de Sintra, “acolhe as atividades terapêuticas deste projeto” e define-se como uma “resposta diferenciada e inovadora no âmbito da prevenção em saúde, destinando-se a “pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, que residam no concelho de Sintra”.

O objetivo do projeto é promover o envelhecimento ativo e combater o isolamento social, através da realização de intervenções em grupo de estimulação/ reabilitação cognitiva com recurso a tecnologias inovadoras”.

As “sessões de ginástica cerebral, gratuitas e bissemanais, são dinamizadas por uma equipa multidisciplinar especializada” e realizam-se ainda “outras atividades de prevenção/ promoção da saúde e aumento da literacia em saúde, tais como ações de sensibilização e rastreios cognitivos na área do envelhecimento e demências”.

No sentido da “identificação de necessidades de cuidados e novas problemáticas em saúde”, as Irmãs Hospitaleiras mantêm-se atentas, também a outras faixas etárias. 

“Estão atentas às situações sobretudo de patologia na área de saúde mental, designadamente noutras faixas etárias (infância e adolescência, idade adulta) bem como às novas abordagens que a tecnologia (novos fármacos, novos modelos psicoterapêuticos, tecnologias de estimulação e reabilitação) veio acrescentar aos tratamentos”, reforça.

O Prémio Saúde Sustentável – já na sua 11ª edição é uma iniciativa do Jornal de Negócios e da farmacêutica Sanofi Portugal orientada para a divulgação e incentivo de boas práticas da sustentabilidade da saúde em Portugal e tem por objetivo divulgar os exemplos de excelência que são merecedores de destaque.

Nesta edição de 2022, o prémio foi atribuído em dois âmbitos: institucional e personalidade. Na distinção institucional, entre 58 candidaturas foram premiadas 5 categorias: Cuidados de saúde centrados no Cidadão, Inovação em saúde (galardão atribuído à Casa de Saúde da Idanha), Integração de Cuidados, Promoção da Saúde e Prevenção da Doença e transformação Digital.

SN

Partilhar:
Share