Representantes cristãos e chefe de Estado da Arménia acompanharam inauguração de estátua nos jardins do Vaticano

 

Cidade do Vaticano, 05 abr 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco presidiu hoje à inauguração de uma estátua de São Gregório de Narek, nos jardins do Vaticano, acompanhado por representantes de várias Igrejas cristãs e do chefe de Estado da Arménia.

A homenagem foi acompanhada pelo 132.º patriarca dos arménios, Karekin II, eleito em 1999 e líder espiritual de seis milhões de cristãos; o patriarca Aram I, ‘Catholicos’ da Igreja Apostólica Arménia da Cilícia; o patriarca Krikor Bedros XX, ‘Catholicos’ da Cilícia dos arménios católicos; e do presidente da República da Arménia, Serzh Sargsyan.

A estátua é obra do escultor arménio David Erevanci, criada segundo o modelo presenteado pelo presidente da República da Arménia ao Papa Francisco, por ocasião da sua visita ao país, em junho de 2016; representa o Santo de Narek, com o olhar voltado para o céu.

O Papa e Serzh Sargsyan reuniram-se em privado, esta manhã, tendo falado sobre as situações de conflito na região e da situação das minorias religiosas, “especialmente nos cenários de guerra”, revelou a sala de imprensa da Santa Sé.

A 12 de abril de 2015, São Gregório de Narek (950-1005) foi elevado à categoria de Doutor da Igreja universal, numa Missa presidida pelo Papa Francisco na Basílica de São Pedro em memória do 1,5 milhão de mártires arménios.

O monge arménio, recordado como místico e teólogo, é visto como símbolo da fé do seu povo.

Em 1003 escreveu a sua obra mais famosa, ‘O livro das lamentações’ (também chamado Narek), apresentado pelo Vaticano como “única no género”.

Os textos evocam “o drama do itinerário espiritual, a tragédia da existência, do ser neste mundo a tender para algo que não é deste mundo”.

O ‘narek’ é composto por 95 capítulos, que o autor chama ‘ban’, um termo que corresponde ao grego ‘logos’ (palavra).

O monge morreu em 1005, no mosteiro onde viveu, e ali foi sepultado, sendo venerado como santo.

O túmulo de São Gregório tornou-se destino de peregrinações e a sua memória manteve-se mesmo após a conquista da Arménia pelos turcos, em 1071.

O novo núncio apostólico (representante diplomático da Santa Sé) na Arménia é o arcebispo luso-canadiano D. José Avelino Bettencourt, de 55 anos.

OC

Partilhar:
Share