A nova reitoria do Coração Imaculado de Maria, na diocese de Coimbra, que nasce num tempo de pandemia e contrariando os movimentos de aglutinação de estruturas e paróquias, nasce como um “ato de coragem”, assim descrito pelo seu pároco, o padre Francisco Claro. A presença dos jovens que trabalharam em conjunto e em grande número para, em confinamento, manter atividades e preparar o regresso presencial mostra a força e a identidade de uma “comunidade” que há muito queria ser autónoma.

Partilhar:
Share