Maria Teresa Gonzalez fala da «profundidade» e espiritualidade» das crianças e jovens e de como a pessoa de Jesus deve ser contada aos mais novos

Lisboa, 30 mar 2019 (Ecclesia) – A escritora Maria Teresa Gonzalez diz que escrever para crianças e jovens com simplicidade e verdade é o caminho para contar histórias que, até para adultos, poderão ser cruéis.

“A história da Paixão e morte de Jesus é de uma enorme violência, para todos, de uma grande crueldade, mas também de um amor infinito. A preocupação é sublinhar, não a parte dolorosa, mas a vitória do amor sobre a morte”, explica à Agência ECCLESIA.

Há mais de 30 anos que, após a docência, Maria Teresa Gonzalez se dedica à escrita direcionada para crianças e jovens.

“Não me é difícil escrever para as crianças, não faço um seleção de palavras. É preciso falar com amor. A história de Jesus é uma história de amor, e deve ser contada com convicção e amor. Não tem nada de infantil, deve ter de simples”, assume.

Para a escritora as crianças aprendem mais quando as histórias lhes são contadas com afeto.

“Uma história bem contada e por alguém que a criança gosta é sempre um momento de grande afeto e aprendemos sempre melhor quando o conteúdo passa pelo coração”, observa.

Habituada a visitar escolas e a contatar com o público a que se dirige, Maria Teresa Gonzalez reconhece “profundidade” e abertura para compreenderem o que desconhecem.

As crianças conseguem ter profundidade e surpreendem-me muitas vezes porque chegam muito longe nas suas conclusões e fazem perguntas que mostram que tocam no fundo. Não têm medo de fazer perguntas, não têm receio de mostrar que não sabem, de mostrar uma ideia nova. Tudo isso facilita no diálogo”.

Não só pelo contacto com novo vocabulário mas também pela criatividade a que instiga a escritora indica o livro como “indispensável no crescimento de uma criança”: “Um livro torna-se um amigo porque nos traz momentos de felicidade”.

Sentindo-se “me vocacionada e chamada a contar histórias direcionadas para a espiritualidade dos mais novos”, Maria Teresa Gonzalez salienta a importância de “mais do que doutrina, conceitos ou regras” o importante é “contar a história de Jesus na terra – é a história mais fascinante”.

A entrevista pode ser ouvida no programa Ecclesia deste domingo, na Antena 1, pelas 06h00.

LS

Partilhar:
Share