D. José Policarpo escreve mensagem às comunidades católicas recordando passagem de Bento XVI por Portugal

Lisboa, 04 Mar (Ecclesia) – O Patriarcado de Lisboa vai encaminhar para a diocese de Mindelo, em Cabo Verde, os donativos das comunidades católicas que vai recolher durante o tempo litúrgico da Quaresma, por decisão de D. José Policarpo.

Na mensagem quaresmal para 2011, citada pelo semanário diocesano «Voz da Verdade», o cardeal-patriarca explica que “no momento em que um sacerdote de Lisboa, o P. Ildo Augusto dos Santos Fortes, foi nomeado Bispo da Diocese do Mindelo, em Cabo-Verde, as necessidades dessa Igreja terão um lugar privilegiado”.

A «renúncia quaresmal» é uma modalidade de partilha deste período do calendário litúrgico da Igreja Católica que apela à oferta de um montante monetário destinando a finalidades eclesiais ou socio-caritativas, por parte dos cristãos, obtido pela abstenção de gastos não essenciais da vida quotidiana.

A mensagem de D. José Policarpo intitula-se «Sigamos o Senhor, a caminho da Nova Jerusalém», citando textos de Bento XVI e a sua visita à capital portuguesa, em Maio de 2010.

O cardeal-patriarca alude ainda à publicação do segundo volume do livro «Jesus de Nazaré», assinado por Joseph Ratzinger, apelando a “todos os que puderem” para que se “apoiem na sua leitura, para a caminhada quaresmal deste ano, até à Páscoa”.

O actual Papa, diz D. José Policarpo “apresenta a caminhada do Jesus real, desde a sua entrada em Jerusalém até à ressurreição” recordando que, quem aclama Jesus como Messias nesta entrada “não são os habitantes da cidade, mas os peregrinos que se juntam a Ele”.

 “Se é verdade que a nossa peregrinação começou na ressurreição do Senhor, em que participamos pelo baptismo, é também verdade que somos chamados a viver como o primeiro grupo de peregrinos, a dureza da Cruz, a tristeza da negação e do abandono, a dificuldade de continuar a ser discípulo”, observa.

O jejum, a esmola e a oração são três expressões tradicionais da caminhada quaresmal apontadas por D. José Policarpo nesta mensagem, onde desafia as comunidades “a intensificarem a oração, a partir da Palavra de Deus”.

O documento refere-se também à beatificação de Maria Clara do Menino Jesus, marcada para o próximo dia 21 de Maio, e à “radicalidade de amor” da futura beata, que viveu e morreu em Lisboa nos finais do séc. XIX, “repleta de pobres e marginalizados”.

A mensagem patriarcal termina com um agradecimento à diocese pelo relevo dado à celebração dos 50 anos de ordenação sacerdotal de D. José Policarpo, deixando um desejo: “Que o meu sacerdócio continue a ser, apesar do meus limites, um foco irradiador do amor de Jesus Cristo, e que esta celebração jubilar, mais do que uma homenagem pessoal, seja este abrir-se da Igreja de Lisboa ao ‘ardor’ de uma nova evangelização”.

NRF/VV/OC

Partilhar:
Share