Metade da renúncia quaresmal deste ano será para um projeto que tem especialmente em conta crianças e grávidas

Porto, 04 mar 2019 (Ecclesia) – O bispo do Porto desafiou hoje as comunidades católicas a fazerem do tempo de Quaresma uma oportunidade para ajudar as populações da Venezuela, em especial os muitos emigrantes portugueses, que vivem mergulhadas numa grave crise económica e social.

De acordo com D. Manuel Linda, metade das verbas recolhidas na renúncia quaresmal deste ano irão ser canalizadas para o apoio na Venezuela a um “programa da Caritas local cuja função é localizar e suprir situações de carência alimentar severa ou grave, particularmente entre crianças e grávidas”.

O bispo do Porto recorda que a renúncia quaresmal é um desafio da Igreja Católica “traduzido em poupança” que deve ser depois colocada “ao serviço dos mais pobres”.

Aquele responsável católico exorta todas as pessoas a corresponderem a este convite, com “generosidade” e sentido de responsabilidade.

A outra metade da renúncia quaresmal da Diocese do Porto será destinada para o Fundo de Solidariedade Social da Igreja Católica na região.

D. Manuel Linda frisa a importância de contribuir para uma ferramenta que  “tem prestado ajuda a imensas situações graves emergentes ou pedidos de auxílio reportados continuamente” no território nortenho.

A Quaresma é um tempo de 40 dias que tem início com a celebração de Cinzas, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão, este ano dia 21 de abril.

JCP

Partilhar:
Share