D. Francisco Senra Coelho pede iniciativas de «fraterna partilha», na preparação para a Páscoa

Évora, 23 fev 2020 (Ecclesia) – O arcebispo de Évora anunciou na sua mensagem para a Quaresma, divulgada hoje, que os católicos da diocese vão apoiar duas comunidades contemplativas femininas presentes no seu território.

D. Francisco Senra Coelho destina a renúncia quaresmal de 2020 à Ordem da Imaculada Conceição (Monjas Concepcionistas), do Mosteiro da Imaculada Conceição em Campo Maior; e à Família Monástica de Belém da Assunção da Virgem e de S. Bruno, com o seu Mosteiro em construção na paróquia de Santo António do Couço.

“A Quaresma propõe-nos ações concretas que testemunhem ao mundo a nossa vontade de conversão e tornem credíveis as nossas decisões de fraterna partilha, por isso, como nos anos anteriores, propomo-nos a realizar uma Renúncia Quaresmal que dedicamos a quem nos parece necessitado do sinal da nossa presença enquanto Igreja Diocesana”, explica o responsável católica, em documento enviado à Agência ECCLESIA.

O texto, intitulado ‘Sedentos de Esperança a caminho da Páscoa’, recorda que esta Quaresma acontece no primeiro ano de um triénio dedicado à Esperança, sublinhando o simbolismo da Vida Consagrada, neste contexto.

“A Vida consagrada é chamada a manter acesa a lâmpada do profetismo, tornando-se um farol para quantos estão desorientados no alto mar, uma tocha para aqueles que caminham na escuridão, uma sentinela para aqueles que não veem uma saída na vida”, escreve o arcebispo de Évora.

A Quaresma é um tempo de 40 dias que tem início com a celebração de Quarta-feira de Cinzas – este ano no próximo dia 26 – marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão.

D. Francisco Senra Coelho fala num “tempo privilegiado de conversão, pela escuta da Palavra de Deus e pelo acolhimento de catequeses mais aprofundadas”.

“Privando-se pelo jejum e pela abstinência do alimento terreno, o povo santo de Deus, aprenderá a valorizar e a saborear, acima de tudo, o Pão da Palavra de Deus e da Eucaristia e os apelos vindos dos sinais dos tempos e da caridade que nos leva ao dever de partilhar os bens com os outros”, acrescenta a mensagem quaresmal.

O modo sincero, autêntico e coerente de atuação na caridade solidária e fraterna para com o próximo é sair da neutralidade passiva, omissa, indiferente e alheada, e comprometermo-nos em favor de todos os sós, pobres, sofredores e abandonados”.

O arcebispo de Évora informa que no ano pastoral 2018-2019 foram recolhidos 25 mil euros na renúncia quaresmal, destinada às Igrejas da Venezuela e de Moçambique (Arquidiocese da Beira),

A dinamização e a recolha das renúncias são confiadas à Cáritas Arquidiocesana.

OC

Évora: Arcebispo de Évora manifesta «total apoio» às Monjas de Belém

 

Partilhar:
Share