Susana Queiroga, que apresenta hoje o livro, adianta que «a ideia subjacente» é tirar «alguma moral, algum valor»

Lisboa, 27 out 2021 (Ecclesia) – O livro ‘Voar na Fantasia’, dos psicólogos Margarida Cordo e Aires Gameiro que trabalham em saúde mental, tem 50 contos para refletir a realidade que cada um está a viver.

“São contos curtos, é muito simples de se ler. Dá-nos a oportunidade, de refletirmos o que estamos a viver, os valores que nos regem e regem as sociedades”, disse Susana Queiroga à Agência ECCLESIA.

A socióloga, que vai apresentar hoje a obra, explica que os 50 contos selecionados pelos autores falam sobre “a vida, o tempo, a gratidão, a partilha”, “alguns são surpreendentes”, outros estão ligados à transcendência e “ao além”.

“Cada conto é uma leitura da realidade a partir dos autores. A fantasia é uma boa palavra para qualificar de forma transversal, atravessa todos os contos ali presentes”, acrescenta.

Segundo Susana Queiroga, com “alguma dificuldade”, às vezes, distingue-se a realidade da fantasia e a nova publicação traz algumas questões pertinentes, “ligadas até com a própria estrutura de valores” que as pessoas têm ou deixam de ter, questionam.

Num dos contos, com uma “visão futurista”, um avô conta aos netos como foi este tempo da pandemia, “principalmente desde o início de 2020 até maio deste ano”; Outro apresenta a perspetiva de um objeto, o “banco do jardim”, que perdeu a sua “utilidade social de convívio”, com as pessoas fechadas em casa, e quando começam a sair nota que se estão a comportar de “uma maneira diferente, muito estranha, e nada era como antes”.

“A ideia que está subjacente em todos é tirarmos alguma moral, algum valor, que nós próprios questionamos perante a velocidade que as coisas se vão posicionando”, sublinha.

Os autores de ‘Voar na Fantasia’, os psicólogos Margarida Cordo e Aires Gameiro, trabalham com os Irmãos de São João de Deus na valorização da Saúde Mental, e a nova publicação também cumpre essa função.

“Alguns [contos] são um combate para destruirmos o estigma associado à doença mental, muitos falam disso e dão-nos essa perspetiva: Colocam-nos a questão do estigma de uma forma mais ligeira e com aqueles contos percebemos que podia ser a nossa história e começamos a olhar para a saúde mental de uma maneira completamente diferente, a enquadrar, e a não estigmatizar a pessoa com doença mental”, desenvolveu Susana Queiroga.

A socióloga recorda que, após a pandemia de Covid-19 existiram “várias fases” e evidenciou muitas situações associadas à doença mental, “algumas já existiam, algumas exagerou, outras foram agravadas”, por exemplo, na gestão entre os medos e as ansiedades, as angustias das pessoas.

A entrevistada na emissão desta quarta-feira do Progrma ECCLESIA (RTP2) vai apresentar o livro ‘Voar na Fantasia’, que tem a chancela das Edições Salesianas, às 18h45, na Biblioteca Salesianos (Rua Saraiva de Carvalho, n.º 275), em Lisboa.

Margarida Cordo, Aires Gameiro e a nova publicação vão estar em destaque no Programa Ecclesia, de 1 a 5 de novembro, a partir das 22h45, na rádio Antena 1.

LFS/PR/CB

 

Partilhar:
Share