Johan Ickx analisa papel do Papa da II Guerra Mundial na defesa dos judeus

Cidade do Vaticano, 27 out 2021 (Ecclesia) – Johan Ickx, responsável pelo Arquivo da Secção das Relações com os Estados, do Vaticano, lançou em Portugal o livro “Pio XII e os judeus”, com documentos inéditos sobre a ação da Santa Sé durante a II Guerra Mundial.

A obra é lançada pela Vogais, apresentando “o círculo íntimo de Pio XII e a sua atuação”.

“Os documentos inéditos de Pio XII e do seu Gabinete irão fornecer um contraponto à narrativa errada que muitos aceitaram como verdade estabelecida. Ninguém leva uma vida perfeita, nem mesmo os santos mais reverenciados e amados, mas todos merecemos ser recordados com verdade”, indica o autor.

Segundo o investigador, o livro visa “revelar um homem que se debateu sob o fardo do seu cargo, pelos ideais da Igreja Católica e pelos ensinamentos de Cristo, numa altura em que muitos poderiam razoavelmente serem levados a pôr em questão a existência de Deus”.

A obra resulta da análise de textos que ficaram acessíveis pela primeira vez após a abertura dos Arquivos do Vaticano relativos ao pontificado de Pio XII (1939-1958), documentando “a tentativa de salvar milhares de judeus das perseguições nazis.

“A série de arquivos denominada ‘Judeus’ que se encontra no nosso Arquivo demonstra o cuidado diário com que, 24 horas por dia, o Papa e 11 pessoas do seu “gabinete” estavam ocupadas, juntamente com os núncios e outros colaboradores no exterior, para ir em ajuda aos perseguidos de toda a Europa”, refere Ickx.

O historiador contabilizou cerca 2800 pedidos de ajuda ou intervenção, entre 1938 e 1944.

“É realmente surpreendente como homens e mulheres em perigo, em Milão, mas também em Praga ou Budapeste, consideravam como único verdadeiro último recurso recorrer a Roma e pedir ajuda ao Papa. Portanto, para os judeus era evidente e claro que Pio XII estava do seu lado, que ele e sua equipa fariam tudo ao seu alcance para salvá-los”, indica o autor.

Johan Ickx considera que os esforços do Vaticano visavam “salvar cada ser humano, independentemente da cor ou credo”, até porque à medida que as leis raciais se tornaram mais rigorosas, “a distinção entre judeus e judeus batizados se perdeu”.

A 2 de março de 2020, por decisão do Papa Francisco, foram abertos aos investigadores os arquivos do Vaticano relativos ao pontificado de Pio XII.

OC

 

Pio XII: Arquivos mostram que Vaticano falsificou documentos para salvar judeus

Partilhar:
Share