«Deus é sempre novo» tem prefácio do Papa Francisco

Cidade do Vaticano, 19 jan 2023 (Ecclesia) – A Editora do Vaticano lançou o livro ‘Deus é sempre novo’, uma antologia com homilias, catequeses e discursos proferidos por Bento XVI durante o seu pontificado (2005-2013).

“O livro ajuda a abordar o pensamento de um grande teólogo do século XX”, diz o editor Luca Caruso, em declarações ao portal ‘Vatican News’.

‘Deus é sempre novo’ recolhe reflexões de Bento XVI, falecido no último dia de 2022, aos 95 anos de idade.

A obra tem prefácio do Papa Francisco, o qual sustenta que a Igreja vai estar “sempre grata” ao seu predecessor.

“O pensamento de Bento XVI é e permanecerá sempre como um pensamento e um magistério fecundo no tempo, porque se soube concentrar nos pontos de referência fundamentais da nossa vida cristã: em primeiro lugar, a pessoa e a palavra de Jesus Cristo, além das virtudes teologais, ou seja, a caridade, a esperança, a fé. E, por tudo isto, a Igreja lhe estará sempre grata. Para sempre”, escreve.

Francisco assinala que o título da obra manifesta “um dos aspetos mais caraterísticos do magistério e da própria visão de fé” do seu predecessor.

“Sim, Deus é sempre novo porque Ele é a fonte e a razão da beleza, da graça e da verdade. Deus nunca é repetitivo, Deus surpreende-nos, Deus traz novidade. A frescura espiritual que transparece destas páginas confirma-o com intensidade”, sustenta.

O Papa presta homenagem a alguém que “fazia teologia de joelhos”, falado de Bento XVI como alguém que “abandonou tudo de si a Deus”.

“A recolha de pensamentos espirituais que se apresenta nestas páginas mostra a capacidade criativa de Bento XVI em saber investigar os vários aspetos do cristianismo com uma fecundidade de imagens, linguagem e perspetivas que se tornam um estímulo contínuo para cultivar o precioso dom de acolher a Deus na própria vida”, pode ler-se.

Francisco sublinha a forma como o seu antecessor soube “fazer interagir coração e razão, pensamento e afetos, racionalidade e emoção” para deixar transparecer a “força disruptiva do Evangelho”.

O livro, acrescenta, é uma “síntese espiritual” dos escritos de Bento XVI, registando, entre outras, a frase “Deus é um acontecimento de amor”.

O Papa recorda o esforço de “diálogo com a cultura de seu tempo” desenvolvido, desde jovem, pelo teólogo Joseph Ratzinger, realçando que Bento XVI “sempre considerou a beleza como um caminho privilegiado para abrir os homens ao transcendente”, em particular pelo seu amor à música.

“Agradecemos a Deus por nos ter dado o Papa Bento XVI: com a sua palavra e o seu testemunho ensinou-nos que, com a reflexão, o pensamento, o estudo, a escuta, o diálogo e sobretudo a oração, é possível servir a Igreja e fazer bem a toda a humanidade; ofereceu-nos ferramentas intelectuais vivas para permitir a cada crente dar razões da sua esperança, recorrendo a um modo de pensar e de comunicar que pudesse ser compreendido pelos seus contemporâneos”, aponta.

A Livraria Editora do Vaticano (LEV) está a levar a cabo a publicação das obras completas (Opera Omnia) de Joseph Ratzinger-Bento XVI (1927-2022).

Um novo volume será lançado na primavera, dedicado a todas as entrevistas concedidas por Joseph Ratzinger antes e depois de sua eleição como Papa.

OC

Vaticano: Papa Francisco homenageia sabedoria e dedicação de Bento XVI (c/vídeo e fotos)

Partilhar:
Share