Reflexões partem do contexto que se vive na Igreja e na sociedade

Porto, 24 abr 2019 (Ecclesia) – As Edições Salesianas lançaram a obra ‘Rezar na Páscoa’, quer pretende chegar “a quem está dentro ou perto da fé”, com um subsídio impresso e online.

“O Tempo Pascal propõe-nos a sedimentação da nossa identidade crente, este aprofundamento, interessa-nos falar para gente ainda em caminho. É capaz de ser ainda bastante gente que leva a fé a sério, mas ela não é talvez a experiência mais importante das suas vidas”, disse o padre Rui Alberto, diretor da editora.

Em declarações à Agência ECCLESIA, o religioso sublinha que as propostas de oração deixam “uma reflexão a partir do contexto que se vive na Igreja e na sociedade”, por exemplo, “se há um clima mais otimista” ou se existe “uma situação mais cinzenta”.

Atualmente, assinala o padre Rui Alberto, vive-se o caminho pós-sinodal dedicado aos jovens, com a preocupação de “primeiro anúncio”, a que o Papa Francisco se tem referido – “o núcleo mais entusiasmante, mais central” do Evangelho -, a quem não o conhece ou ainda não aceitou, recordando também “a responsabilidade de todos” regressarem a esse núcleo.

“Termos a capacidade de confrontar as nossas práticas de vida, as nossas construções teológicas, a forma como nos organizamos em Igreja a partir daquele núcleo mais essencial: Deus te ama, Jesus está presente na tua vida, tem capacidade de te ressuscitar”, desenvolveu o religioso salesiano.

O entrevistado considera que um “mix de fragilidade, bloqueio” marca a sociedade atual.

“Há muitas instituições com interesse que a gente esteja alienadamente feliz, ou felizmente alienada. As pessoas vão percebendo que não é bem assim, há um larvar de mal-estar que é social, político e económico, há um certo desencanto na vida das pessoas. Precisamos mesmo de esperança”, desenvolveu.

Para o padre Rui Alberto, é preciso “destapar as máscaras” e “abrir” à esperança que Jesus apresenta.

“A nossa existência vai andando nesse binómio, dimensão crítica, negativa, de busca de mais lucidez, mas também de otimismo, que só consegue ser fundado na esperança da ressurreição”, acrescentou.

Em ‘Rezar na Páscoa’, as Edições Salesianas apresentam diariamente um pequeno versículo, a partir da liturgia, uma meditação, “uma releitura atualizada” com os desafios que as pessoas enfrentam e uma proposta de oração com “uma estética mais contemporânea”, dando “forma visual a estes sentimentos, estas experiências interiores”.

O padre Rui Alberto assinala que a Igreja Católica, com os seus tempos litúrgicos, tem “um manancial, um potencial, uma pedagogia muito bem desenhada”.

‘Rezar na Páscoa’ é publicado em formato papel e um clipe desses conteúdos é partilhado online, no Facebook, com a “vantagem” que as redes sociais estendem “a comunicação para lá do ato comunicativo inicial”.

“Nas redes sociais funciona muito na partilha, no ‘gosto’, gente que mais do que partilhar no geral partilha com amigos concretos. Há também quem agradeça por escrito. As pessoas utilizam muitas vezes o livro e o suporte digital como pretexto para a sua oração, as palavras que querem dizer, experiências que querem partilhar”, desenvolveu o sacerdote, doutorado em Teologia com especialidade em Pastoral Juvenil e Catequética.

CB/OC

Rezar na Páscoa | 24 de abril

Jesus, que acendes a minha esperança.Para Ti, hoje e sempre,o meu louvor.#rezarnapascoa19 #salesianos #edicoessalesianas

Publicado por Edições Salesianas em Quarta-feira, 24 de abril de 2019

 

Partilhar:
Share