D. Rui Valério presidiu à Missa das comemorações do aniversário da PSP em Portalegre

Portalegre, 19 jun 2019 (Ecclesia) – O bispo do Ordinariato Castrense afirmou que “a evidência de uma cidade segura, que oferece todas as garantias de confiança ao cidadão”, é o “melhor reconhecimento” de 141 anos da Polícia de Segurança Pública (PSP) no Distrito de Portalegre.

“A gloriosa obra que aqui tendes realizado pode não ser assinalada nas primeiras páginas dos jornais ou tão-pouco na abertura de telejornais, mas é testemunhada pelo evidente nível de segurança da região; pelos altos níveis de civilização e cidadania que aqui são praticados”, disse D. Rui Valério, esta manhã, na Sé de Portalegre.

Na homilia enviada à Agência ECCLESIA, o bispo do Ordinariato Castrense afirmou que “é imperioso” reparar na “profundidade do trabalho e modo de o realizar” da Polícia de Segurança Pública em 141 anos em Portalegre.

“O reconhecimento do precioso labor da Polícia, seja em Portalegre seja noutro lugar, corresponde ao mais elementar ato de justiça e de discernimento social”, observou.

D. Rui Valério salientou que “todos” sabem e compreendem “quanto esforço e dedicação comporta e exige” o desígnio da segurança e, por ser um dado tão precioso, permite todos os outros bens que “permitem um superior nível de vida aos cidadãos”.

“A vossa missão tem um caráter universalista e transversal, na medida em que é graças ao que fazeis que uma sociedade pode viver e funcionar. Onde há segurança, há vida; surge e desenvolve-se a educação, fortalece-se a formação; é garantida a saúde; a economia tem a condição indispensável para operar”, acrescentou dirigindo-se aos “caros agentes” da PSP.

Na Missa do 141.º Aniversário da Polícia de Segurança Pública no Distrito de Portalegre, o bispo Castrense acrescentou que a ação desta força uma das bases da dinâmica de uma sociedade o agir dos polícias revela que “as pessoas estão sempre em primeiro lugar”, que são o centro e a base “de tudo quanto se desenvolve na comunidade”.

Lembrando que o padroeiro da PSP é São Miguel Arcanjo, que a iconografia apresenta com uma balança numa das mãos, D. Rui Valério realçou que para a Polícia “o que mais pesa” é, sem dúvida, a defesa do ser humano e a salvaguarda da sua dignidade.

Segundo o bispo diocesano, o Evangelho de hoje, que se refere às tradicionais práticas quaresmais – a esmola, a oração e o jejum –, “oferece” referências que “em muito contribuem para compreender, à luz da Palavra de Deus, o mundo interior de um agente de segurança”.

“À luz da Palavra de Jesus”, D. Rui Valério evocou “outro motivo de admiração e de gratidão” para com a PSP por manterem “o rosto sereno e até mesmo sorridente, não revelando as lutas e os dramas” que, por vezes, têm, uma vez que “quase necessariamente, o mal” com que contactam “tem repercussões na alma”.

Do dia de festa destaque para a exposição estática de meios usados atualmente pela polícia e veículos antigos, até esta quinta-feira, na Praça da República, e as comemorações dos 141 anos do Comando Distrital da PSP de Portalegre encerram com um concerto da Banda Sinfónica da PSP, a partir das 21h30, dia 27 de junho, no Jardim da Avenida da Liberdade.

CB

Partilhar:
Share