Cidade do Vaticano, 19 jun 2019 (Ecclesia) – O governo da Eritreia decidiu nacionalizar as estruturas hospitalares da Igreja Católica, numa decisão contestada pelos bispos locais.

O executivo aplicou uma lei aprovada em 1995, que nunca tinha entrado em vigor; entre 2017 e 2018, foram fechadas oito clínicas católicas.

O portal Vatican News assinala que esta medida é vista como uma “retaliação” contra a Igreja Católica, que assiste em particular as classes mais pobres, sem distinção de etnia ou religião.

Em abril deste ano, os bispos católicos publicaram uma Carta pastoral, na qual pediam “um processo de reconciliação nacional que garantisse justiça social” para todos.

OC

Partilhar:
Share