Anúncio de Marcelo Rebelo de Sousa numa homenagem ao médico português na UCP

Foto: Rui Saraiva

Porto, 21 set 2018 (Ecclesia) – O presidente da República Portuguesa informou o professor Walter Osswald que vai ser condecorado com a Grã-Cruz da Ordem de Mérito da Instrução Pública, numa vídeo-mensagem pelos seus 90 anos de vida que foram celebrados esta quinta-feira.

O jornal ‘Voz Portucalense’ informa que a notícia da distinção, anunciada por Marcelo Rebelo de Sousa, foi recebida em ambiente de festa e celebração no final da Eucaristia no Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa.

Na vídeo-mensagem, o presidente da República Portuguesa explicou que a Grã-Cruz da Ordem de Mérito da Instrução Pública é um reconhecimento do mérito e da dedicação à causa pública no âmbito da instrução e da educação do professor e médico portuense.

D. António Augusto Azevedo presidiu à Missa e destacou o “fascínio pela vida” que Walter Osswald “sempre” demonstrou.

O bispo auxiliar do Porto assinalou que “refletir sobre as questões da vida” foi sempre uma preocupação no percurso académico e humano do professor e médico Walter Osswald, autor de vários livros e artigos de opinião que que comemorou 90 anos de idade, esta quinta-feira.

A sessão de homenagem foi promovida pelo Instituto de Bioética da Universidade Católica Portuguesa, do qual o professor Walter Osswald foi o primeiro diretor, e na mesma instituição de ensino superior foi presidente do Gabinete de Investigação em Bioética.

O jornal diocesano do Porto recorda a obra publicada onde se lê que a “mais recentemente” publicação é ‘Morrer a pedido – o que pensar da eutanásia’, de 2016, onde propõe “caminhos de reflexão e aproximação para o encontro de uma solução digna e respeitadora da vida e da pessoa”.

As principais áreas de estudo são a Farmacologia – investigação em sistema adrenérgico e cardiovascular, a Terapêutica (ensaios clínicos) e a Bioética, especialmente ética médica e ética da experimentação.

Walter Osswald nasceu no Porto a 20 de setembro de 1928, cidade onde se licenciou, com 19 valores, em 1951, e doutorou, em 1958, na Faculdade de Medicina onde se tornou professor catedrático em 1972.

Já recebeu doutoramento “honoris causa” pela Universidade de Coimbra e a Grã-Cruz da Ordem de Sant’Iago de Espada e a Igreja Católica distinguiu-o com o Prémio Árvore da Vida-Padre Manuel Antunes, em 2016.

CB

Partilhar:
Share