Organização católica recorda famílias afetadas pela crise sanitária, económica e social

Lisboa, 25 fev 2021 (Ecclesia) – O presidente da República elogiou o papel da Cáritas na resposta à crise provocada pela pandemia, numa mensagem divulgada hoje em que assinala os 65 anos da instituição católica de solidariedade e ação humanitária.

“A rede Cáritas tem estado na linha da frente do combate aos efeitos sociais da pandemia e mobilizado, de uma forma discreta, meios para que ninguém fique sem resposta”, refere Marcelo Rebelo de Sousa, num vídeo para a Semana Nacional Cáritas 2021, que decorre de 28 de fevereiro a 7 de março.

O chefe de Estado destaca o trabalho desenvolvido pela Cáritas ao longo dos seus 65 anos, sem esquecer o seu papel no combate à pobreza provocada pela Covid-19.

“A Cáritas Portuguesa está de parabéns. Parabéns por 65 anos de intervenção social junto dos portugueses, 65 anos de combate à pobreza e todas as formas de exclusão”, refere.

Marcelo Rebelo de Sousa alude aos condicionalismos que vão marcar a celebração desta Semana Nacional, num contexto de confinamento, sublinhando que o modelo digital das celebrações “não afasta aquilo que é a Cáritas: solidariedade, generosidade, mas proximidade”.

“A Cáritas quer olhar para o futuro, e pede-nos que partilhemos o apoio às suas causas de futuro”, acrescenta.

O presidente da República destaca que a organização apoiou quase 10 mil pessoas de março a dezembro de 2020 e “vai continuar a apoiar”, nesta nova fase da pandemia.

“Quero saudar os mais de 1500 profissionais e mais de 1500 voluntários que todos os dias, semana após semana, integram a rede de proximidade e solidariedade. Abraço-vos a todos, agradecendo estes 65 anos”, declara.

A mensagem recorda alguns dos marcos da ação da Cáritas em Portugal, desde o “emblemático acolhimento” de crianças que vieram da Áustria, na II Guerra Mundial, a programas de criação de postos de trabalho, grupos locais de ajuda e “resposta a inúmeras emergências nacionais e internacionais”, concretamente com países lusófonos.

A Semana Nacional tem, em 2021, o tema “Cáritas 65 Anos: O Amor que Transforma” e procura destacar a ação da organização católica no combate à pobreza e exclusão social.

“Vivida em contexto de pandemia, a Semana Cáritas reveste-se este ano de um peso especial, num período em que a Covid-19 deixou muitas famílias em situações difíceis”, realça um comunicado da instituição, enviado à Agência ECCLESIA.

A situação de confinamento impede, pelo segundo ano consecutivo, a realização do peditório público para a recolha de fundos, pelo que a Cáritas vai promover um peditório nacional online.

“Este peditório tem como objetivo a angariação de verbas que vão reforçar a capacidade da rede Cáritas na resposta aos atendimentos sociais e no desenvolvimento e implementação de projeto sociais locais”, precisa a nota.

 

Segundo a organização, os principais pedidos de apoio relacionam-se com o pagamento de rendas de habitação, despesas de saúde e medicamentos e pagamento de despesas de eletricidade.

“A redução significativa de rendimentos pela perda de posto de trabalho, ou por rendimentos insuficientes, seja salário ou reforma, são as principais razões que motivam o apoio da Cáritas”, informa a instituição.

Em 2020, a rede Cáritas atribuiu apoios financeiros, direto à população, de cerca 1,5 milhões de euros, ao qual se somam, ainda, os apoios em produtos alimentares e bens essenciais bem como outras respostas sociais de emergência.

De abril de 2020 a fevereiro de 2021, através da implementação do programa nacional “Vamos Inverter a Curva da Pobreza em Portugal”, a Cáritas ajudou diretamente cerca de 10 mil pessoas, que viram os seus rendimentos afetados pela Covid-19.

OC

Portugal: Cáritas celebra Semana Nacional com atenção reforçada à pandemia (c/vídeo)

 

 

 

Partilhar:
Share