Movimento solidário vai continuar e brevemente vai ser lançada uma campanha de «recolha de bens»

Braga, 11 jan 2021 (Ecclesia) – O Centro Missionário Arquidiocesano de Braga (CMAB) informa que continua ativa a campanha ‘Juntos por Cabo Delgado’ que “rendeu” mais de 54 mil euros, entre setembro e 31 de dezembro de 2020, e vão lançar novas iniciativas solidárias.

Num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, o CMAB assinala que o “início do ano é tempo de balanço” e de “agradecer a todas as pessoas e instituições que se ligaram a esta causa e que contribuíram com oração, doação e divulgação”.

A campanha solidária ‘Juntos por Cabo Delgado’ que “rendeu a quantia de 54.924,50”, entre setembro e 31 de dezembro 2020, tem como objetivo apoiar “cerca de meio milhão de pessoas deslocadas que fogem das suas aldeias que estão a ser atacadas por um grupo sem rosto que semeia o terror, matando e queimando”.

O Centro Missionário Arquidiocesano de Braga explica que esses deslocados internos chegam a Pemba, a capital da província moçambicana de Cabo Delgado, e “a outros locais, sem o essencial” para viver e estão a ser apoiados pela diocese e pela Cáritas Diocesana de Pemba.

A campanha solidária foi realizada pela Arquidiocese de Braga, através do CMAB, com a parceria de diversas instituições e organizações – Cáritas Portuguesa, Fashion Education One Work, Infância Missionária de Balasar, LIAM, Leigos Boa Nova, Associação Regina Mundi, Missionários Combonianos, Missionários do Espírito Santo, Missão (A)mares, Mosaico, Mundo Posible, O melhor de nós, Província Portuguesa dos Sacerdotes do Coração de Jesus – Dehonianos, Rosto Solidário e Sociedade Missionária da Boa Nova – e a Diocese de Pemba.

“Infelizmente a guerra não acabou e as suas consequências ainda irão durar muitos anos. Desde o início desta campanha o número de deslocados internos na província duplicou”, acrescenta.

O comunicado informa que a campanha ‘Juntos por Cabo Delgado’ vai continuar enquanto existirem “pessoas generosas para contribuir, a rezar e a ligarem-se a esta causa, para que ela não seja esquecida” e as organizações continuam “unidas numa recolha de bens”, solicitados pela Diocese de Pemba, que vai ser lançada em breve.

Desde 2017, a província de Cabo Delgado, no Norte de Moçambique, tem sido atingida por conflitos armados provocados por grupos rebeldes, que já causaram 2 mil vítimas mortais e 600 mil deslocados.

CB

Partilhar:
Share