Conferência nacional reuniu-se em Fátima, para assembleia geral

Foto: CIRP

Fátima, 21 nov 2019 (Ecclesia) – A Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal (CIRP) apelou à mobilização dos seus membros para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2022, em Lisboa, sendo incentivada a colaborar pelos coordenadores-gerais do Comité Organizador Local.

Num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, a CIRP informa que o coordenador para a área pastoral da JMJ 2022, D. Joaquim Mendes, bispo auxiliar de Lisboa, solicitou a participação das congregações religiosas através da nomeação de representantes dos movimentos juvenis.

O responsável, que acompanha o setor da pastoral juvenil da Igreja Católica a nível nacional, salientou que os próximos três anos são um tempo de evangelização do mundo juvenil, desejando que os jovens se possam sentir mais parte da Igreja e reflitam sobre a dimensão vocacional.

“Maria levantou-se e partiu apressadamente” (Lc 1,39) é o tema da próxima edição internacional da Jornada Mundial da Juventude, no verão de 2022.

O coordenador-geral para o setor logístico-operativo, D. Américo Aguiar, também esteve na assembleia na CIRP e referiu que o sucesso do encontro mundial “só poderá acontecer se os jovens, dos 14 aos 30 anos, se inscreverem” solicitando a colaboração dos Institutos Religiosos.

Segundo o comunicado, o bispo auxiliar de Lisboa apelou à colaboração como voluntários nacionais e internacionais, como tradutores dos materiais a divulgar e solicitou ainda apoio económico.

O Comité Organizador Local da JMJ 2022 tem a decorrer o concurso para a imagem gráfica (logótipo) e para o hino da jornada e no Domingo de Ramos do próximo ano, o Papa Francisco vai entregar os símbolos – Cruz e Ícone Mariano – a uma delegação portuguesa no Vaticano.

A CIRP informa que ‘Consagrados para evangelizar’ é o lema da Semana do Consagrado 2020, de 26 de janeiro a 2 de fevereiro, e da semana de estudos anual, que decorre de 22 a 25 de fevereiro, em Fátima, e já estão a decorrer as inscrições online.

No encontro, a CIRP aprovou “por unanimidade um voto de pesar pelo brutal assassinato” da irmã Maria Antónia Guerra, da Congregação das Servas de Maria Ministras dos Enfermos, no dia 8 de setembro em São João da Madeira.

Foto: CIRP

A 29ª assembleia geral aprovou ainda o orçamento para 2020 e o relatório de contas de 2018, “apreciou” também a apresentação da obra de caráter científico “História Global da Missionação”, pelo Instituto de Estudos Avançados em Catolicismo e Globalização (IEAC-GO), que pediu apoio à CIRP.

O encontro realizou-se em Fátima, entre terça-feira e quarta-feira; no segundo dia, os participantes refletiram sobre o tema ‘Outra comunidade é possível’, com o padre José Cristo Rey García Paredes, missionário claretiano.

Segundo o comunicado, em 2020, a Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal vai reunir-se em assembleias gerais nos dias 27-28 de abril e 16-17 de novembro.

CB/OC

Partilhar:
Share