Documento pretende chegar a todos como “proposta de organização para superar esta exclusão social”

Foto: AE/SN

Lisboa, 12 nov 2022 (Ecclesia) – A Comissão Justiça, Paz e Ecologia da Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal (CIRP), o secretariado Diocesano de Lisboa da Pastoral dos Ciganos, a Obra Católica Portuguesa de Migrações e o Centro Padre Alves Correia escreveram a “Carta da Habitação”, como preocupação e proposta de organização para superar esta “exclusão social”.

“A “Carta da Habitação” é uma proposta das “Comunidades Inseridas nas Periferias” e de gente solidária com a causa das periferias, preocupadas pela realidade social portuguesa desde a ótica dos mais pobres e vulneráveis; preocupa-nos especialmente o tema fulcral da Habitação”, explica nota enviada à Agência ECCLESIA. 

A Comissão Justiça, Paz e Ecologia da CIRP, o secretariado Diocesano de Lisboa da Pastoral dos Ciganos, Obra Católica Portuguesa de Migrações e o Centro Padre Alves Correia escreveram a Carta de Habitação perante a “gravidade da situação atual de carência habitacional”. 

“Oferecemos esta Carta como um modesto enquadramento da problemática e de proposta de organização para um trabalho na superação desta exclusão social”.

O documento, com data de 11 de novembro de 2022, pretende chegar a todas as “instituições, cidadãos e cidadãs interessados na temática”, que consideram como “grande palco das injustiças e assimetrias que atravessam a sociedade portuguesa”. 

“Contraditório com uma sociedade de Paz com Justiça, animamo-nos a fazer circular esta Carta, com o intuito de que façamos todos e todas um grande acordo comunitário para podermos ir superando esta lacra da sociedade portuguesa”, indicam.

“A persistente falta de uma gestão participativa efetiva da sociedade civil no processo de urbanização (incluindo na sua avaliação), juntamente com o aumento dos preços e de famílias com dificuldade em ter acesso a bens e serviços mínimos” levou à preocupação das instituições.

“Faz-nos ver com preocupação que a aplicação prática da Lei de Bases da Habitação poderá estar ainda longe de concretizar o direito à habitação para todos”, concluem.

A “Carta da Habitação” está disponível para subscrição.

SN

Partilhar:
Share