D. Rui Valério salientou que instituição militar «garante a segurança» dos cidadãos

Foto: GNR

Maia, 07 out 2022 (Ecclesia) – O bispo das Forças Armadas e Forças de Segurança salientou hoje que Portugal é “um país seguro” e, “desde há muito, uma Nação una e unida”, no 14.º aniversário do Comando Territorial do Porto da GNR (Guarda Nacional Republicana).

“Hoje, importa salientar o contributo decisivo da GNR tanto para essa segurança, como para essa unidade. E, pensando concretamente na ação do Comando Territorial do Porto, verificamos o quanto determinante tem sido a prestação efetiva para o alcance de ambos os desígnios”, disse D. Rui Valério, na Eucaristia de ação de graças, no Mosteiro do Divino Salvador de Moreira, na Maia.

Na homilia enviada à Agência ECCLESIA, o bispo do Ordinariato Castrense de Portugal salientou que enquanto Força de Segurança, a GNR desenvolve o “esforço de garantir a segurança a todos os cidadãos”, particularmente no distrito do Porto, onde todo o cidadão é visto como “sujeito assistido pelo direito a ser protegido, assim como todas as comunidades e aglomerados”.

O cumprimento deste propósito outorga a todos os seres humanos um mesmo e idêntico estatuto, independentemente da sua posição social, da sua condição económica, do seu estatuto racial, político, religioso ou ideológico. E nada contribui tanto para a promoção da unidade entre as pessoas, entre as regiões, entre cidades e aldeias, e até entre as diversas atividades que se desenvolvem, a nível económico, cultural e até desportivo, do que a igualdade universal perante a lei”.

Neste contexto, D. Rui Valério felicitou a Guarda Nacional Republicana, na cerimónia religiosa comemorativa do 14.º Aniversário do Comando Territorial do Porto, porque “a sua determinação” em prol da grei servindo a lei “constrói não só a segurança, mas também o sentido de unidade”.

“O maior e melhor reconhecimento para a GNR é a afirmação do prestimoso valor da sua ação e do serviço que presta a Portugal e aos portugueses. É sentir que a sua presença faz a diferença, toda a diferença, sobretudo para as populações e para as categorias de pessoas mais vulneráveis.”

O presidente da celebração de ação de graças do Comando Territorial do Porto da GNR, explicou que a Palavra de Deus que escutaram “faz emergir, ainda que de maneira simples, importantes aspetos da vida”, e particularmente da modalidade de vida desenvolvida pela GNR, e, “embalados pelo caminho do Evangelho”, convidou também a olhar para a realidade pessoal.

“Reconhecendo que, devido à vida agitada que levamos, às inúmeras solicitações que nos interpelam, às muitas frentes que nos ocupam, por vezes sentimo-nos como que divididos em nós próprios. Emerge, então, um profundo desejo de unidade pessoal, de harmonia existencial, que nos permita estar inteiros em tudo quanto fazemos”, desenvolveu D. Rui Valério.

O bispo das Forças Armadas e Forças de Segurança de Portugal indicou que “o segredo dessa unidade” reside “na própria pessoa de Jesus Cristo”.

CB/OC

Partilhar:
Share