Animadores missionários estão reunidos em assembleia anual, em Almada

Almada, 11 nov 2016 (Ecclesia) – Os Animadores Missionários dos Institutos Missionários Ad Gentes (ANIMAG) terminam hoje a assembleia anual sobre o tema ‘A Comunicação como lugar de Encontro’, analisando como transmitir a mensagem do Evangelho de "forma competente".

Em declarações à Agência ECCLESIA, o presidente dos ANIMAG disse que  num mundo cada vez mais globalizado, "os meios de comunicação tornaram-se não apenas um meio mas, muitas vezes, um fim e são contextos de proximidade, de encontro, de comunicação”.

Para o padre Francisco Costa a comunicação “é também um meio para escutar, aproximar, abraçar”, por isso, é importante não só transmitir bem, mas também “com competência, assertividade” para “envolver, unir”.

Esta quinta-feira o programa da assembleia anual, segundo o presidente dos ANIMAG, foi “mais celebrativo, de comunhão”.

Hoje, o bispo de Setúbal, D. José Ornelas, faz uma intervenção sobre a “linguagem da misericórdia e a misericórdia como comunicação”

A assembleia anual dos Institutos Missionários Ad Gentes (IMAG) / Animadores Missionários dos Institutos (ANIMAG) termina hoje, depois de ter começado no dia 8 de novembro, com o tema ‘Os areópagos da missão – A Comunicação como lugar de Encontro’ a ser refletido no Seminário S. Paulo de Almada, na Diocese de Setúbal.

Os 53 participantes – religiosos e religiosas, leigos e leigos consagrados – foram convidados a ouvir intervenientes de diversas áreas como a televisão, escola/universidade, música/literatura e Igreja falar sobre comunicação.

“Provocaram-nos, disseram-nos que a comunicação é algo de belo, de sério, de extraordinário, mas que envolve o coração e a mente”, disse o padre Francisco sobre convidados como o diretor da Agência ECCLESIA, Paulo Rocha, o jornalista da SIC Joaquim Franco, ou o diretor do Externato Frei Luís de Sousa, em Almada, Fernando Magalhães.

O sacerdote da congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos) explica que a assembleia é também um momento para projetar atividades como “semanas missionárias”, de oito dias ou fins de semana, de sexta a domingo, “nas comunidades ou envolvendo agentes pastorais, associações”.

O encontro dos Institutos Missionários Ad Gentes e animação missionária dos Institutos que termina hoje em Almada tem como missão a dupla vertente de partilharem “conhecimento, alegrias, entusiasmo” e responder ao “mandato do Senhor” de sair e anunciar a Boa Nova.

CB/PR

Partilhar:
Share