Celebração no Pavilhão Multiusos de Paredes incluiu musical e «DJ Set»

Porto, 24 out 2022 (Ecclesia) – Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude foram acolhidos este sábado, em Paredes, Diocese do Porto, com tambores e animação musical que se prlongou pela madrugada.

O acolhimento da Cruz dos Jovens e do ícone de Nossa Senhora decorreu no Pavilhão Multiusos de Paredes, numa noite que começou com um musical de inspiração bíblica, preparado pelo Coro Infantil do Menino Jesus da Paróquia de Gulpilhares, informa o jornal diocesano ‘Voz Portucalense’.

O momento transmitiu “alegria, amor, partilha e caridade por Deus”, porque “a dança e o teatro é a melhor forma de passar a mensagem”, disse Beatriz Lobo, uma das protagonistas.

O musical “contagiou todas as idades” e “tudo se enquadrou muito bem no dia de festa e na presença dos símbolos da JMJ”, em peregrinação pela Diocese do Porto até 30 de outubro.

Os símbolos chegaram “ao som de tambores e bombos” de cinco grupos diferentes, o que “aumentou as expectativas de uma festa que se prolongou até de madrugada”.

A celebração estava programada ao ar livre, mas passou para o pavilhão, por causa da “chuva intensa que se fez sentir” e a “presença da cruz peregrina e do ícone mariano ao longo do dia não passou despercebida”, lê-se no referido jornal.

Durante a tarde realizaram-se também aulas de zumba e danças de hip-hop.

A noite prolongou-se com um DJ Set que fez dançar “todos os presentes num momento que colocou em suspenso qualquer cansaço já sentido”.

A festa do acolhimento decorreu no dia da festa litúrgica de São João Paulo II, “o grande impulsionador da JMJ”.

“Foi e continua a ser um exemplo para todos. Todo o cristão está devidamente identificado com ele. É um homem santo, acima de tudo”, disse José Valente, de 57 anos.

O falecido Papa foi o criador da JMJ, depois do sucesso do encontro promovido em 1985 em Roma.

“Jesus diz-nos que o caminho para a verdade é o caminho da vida. A verdade implica amar, conhecer e testemunhar”, afirmou D. Pio Alves, bispo auxiliar do Porto que presidiu à Eucaristia neste santuário mariano.

Foto: Voz Portucalense

O responsável católico exortou os jovens ao testemunho da verdade.

“O testemunho resulta da verdade da nossa identidade. A verdade não abunda na vida em sociedade, não é fácil identificarmo-nos com Jesus porque estamos sujeitos às calúnias”, sublinhou, numa intervenção citada pela ‘Voz Portucalense’.

A celebração contou com a participação do presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, D. Américo Aguiar, que lembrou aos jovens que já se podem inscrever na jornada, à semelhança do que fez o Papa Francisco.

LFS/OC

Lisboa 2023: Papa inscreveu-se na próxima JMJ (c/vídeo)

Partilhar:
Share